Polícia Civil apreende drogas sintéticas durante festa em Salinópolis

20/07/2019 08h53 - Atualizada em 20/07/2019 16h07
Por Walrimar Santos (PC)

Uma festa regada a música eletrônica e comércio de drogas ilegais foi encerrada por uma operação da Polícia Civil do Pará, por volta de 5 horas deste sábado (20), na cidade de Salinópolis, no nordeste do Estado.

O evento era realizado em uma casa de shows, às margens da praia do Atalaia, um dos balneários mais frequentados durante o mês de julho no Pará. No local, policiais civis apreenderam, além de cigarros de maconha, drogas sintéticas como "ecstasy", "loló" e o entorpecente conhecido como "doce" (LSD - Dietilamida do Ácido Lisérgico). No local, foram presos em flagrante, como responsáveis pelo tráfico de drogas, o advogado Adrian Willian Cascaes Campelo; Arthur Luís Gaia Pantoja e Higor Tohany Pinheiro Silva.

A ação foi realizada por policiais civis da Superintendência Regional do Caeté (sediada em Capanema); do NAI (Núcleo de Apoio à Investigação) de Capanema e da Delegacia de Salinópolis, sob comando dos delegados Temmer Khayat, João Costa (NAI) e Augusto Damasceno, que estão à frente da operação Verão da Polícia Civil no município.

A operação foi acompanhada por representantes da Divisão de Crimes Funcionais (DCrif), da Corregedoria da Polícia Civil.

Conforme o delegado Temmer Khayat, titular da Superintendência, o flagrante foi resultado de investigações deflagradas a partir de um trabalho investigativo de infiltração. As informações eram de que jovens de classe média alta estavam promovendo uma festa de música eletrônica na área da praia do Atalaia, onde drogas eram comercializadas e consumidas livremente. Diante disso, os policiais civis se deslocaram até o ponto indicado, segundo as informações obtidas, para fazer a abordagem.

Após a entrada no local, foram observados dezenas de jovens no interior da casa de festas. O local foi isolado para averiguação em que três pessoas foram surpreendidas portando e fornecendo drogas variadas. "De imediato, foi dado voz de prisão em flagrante aos indivíduos que foram conduzidos para a Delegacia de Salinópolis para os procedimentos cabíveis", explicou o delegado Temmer Khayat.

Com os presos, os aparelhos celulares que eles usavam foram apreendidos para serem encaminhados para a análise de dados. Os presos irão responder por tráfico de drogas e ficarão recolhidos à disposição da Justiça para passar por audiência de custódia.

DROGAS - Para ser uma ideia do alto valor dessas drogas, cada unidade de LSD, em formato de pequenos quadrados de em torno de 3 milímetros de tamanho, custa em média R$ 30.