Detentos participam de limpeza e trabalho de consciência ambiental

21/07/2019 16h56 - Atualizada em 22/07/2019 11h58
Por Walrimar Santos (PC)

As ações do projeto "Verão é pra viver. Com dignidade por todo Pará" foram realizadas, neste final de semana, em alguns dos mais movimentados balneários do interior do Estado. As ações têm como um dos objetivos a promoção da ressocialização dos internos com sociedade, mostrando o trabalho de reinserção social desenvolvido pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe). O projeto acontece simultaneamente nas praias da Ilha de Mosqueiro e Outeiro, em Belém; Ajuruteua, em Bragança e nas praias de Salinópolis, sempre aos finais de semana de julho.

Dentro do projeto, há a ação denominada "Reeducar - Essa é a nossa praia", em que os reeducandos do projeto "Conquistando a Liberdade" realizam a limpeza das praias, distribuem sacolas de lixo para os turistas e atuam na conscientização dos banhistas sobre a importância da limpeza da praia.

Segundo o diretor de Reinserção Social (DRS) da Susipe, Ed Wilson Nascimento, 10 internos trabalham por cada praia. "Essa é uma ação em articulação com os demais órgãos na 'Operação Verão'. Desenvolveremos essa atividade nas praias e outras casas penais, que estão localizadas próximas de balneários, já estão se mobilizando para também atuar nesses locais", explica.

Para o diretor geral Penitenciário (DGPen) da Susipe, coronel Mauro Matos, a ação é fundamental para a reintegração dos internos à sociedade. "Essa ação visa a ressocialização do preso, uma vez que, com esse trabalho, ele está buscando sua reinserção junto à sociedade, além de mostrar o trabalho que pode ser realizado, promovendo a limpeza e a saúde no ambiente que é frequentado por vários veranistas agora no mês de julho", afirma o coronel.

Balanço - Apenas no final de semana passado, os internos do projeto "Conquistando a Liberdade" distribuíram 10 mil sacolas biodegradáveis e recolheram mais de uma tonelada de lixo das quatro praias visitadas. Na ação, os reeducandos também orientaram mais de 16 mil veranistas sobre os impactos ambientais que o lixo provoca. Foram quase 50 horas de permanência nas praias e mais de 35 quilômetros percorridos.