Construções e reformas de terminais trarão mais qualidade ao transporte hidroviário no Pará

Ao todo, seis construções estão em andamento e 13 passarão por obras de reforma e readequação

10/09/2019 11h29 - Atualizada em 17/09/2019 10h33
Por Bruno Magno (CPH)

A Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH) trabalha em ritmo acelerado em obras de mobilidade e infraestrutura hidroviária no Estado. No momento, a Companhia constrói seis terminais hidroviários na região do Baixo Amazonas e deve reformar, em breve, outros espaços na ilha do Marajó.

"Estamos com várias obras em ritmo avançado e a CPH tem se preocupado bastante com a acessibilidade no transporte hidroviário. Temos o dever de aproveitar a potencialidade dos nossos rios e fazer com que sejam tão utilizados quanto as nossas estradas. As obras representam mais dignidade, conforto e segurança para usuários e turistas que saem e chegam desses municípios", destaca Abraão Benassuly, presidente da CPH.

O primeiro terminal hidroviário inaugurado pela CPH este ano foi o de Terra Santa, no Baixo Amazonas, entregue no final de junho. Com financiamento da Caixa Econômica Federal, o espaço custou R$ 3.889.594 milhões e tem 744 metros quadrados de área total, somando obras civis e navais.

Terminal de Terr Santa foi o primeiro a ser inaugurado em 2019Em pleno funcionamento, o terminal de Terra Santa tem à disposição dos usuários carrinhos para locomoção de bagagem, banheiros, lanchonete, guichês para vendas de passagem, cadeiras confortáveis, televisores e bebedouro. Uma rampa de acesso coberta e iluminada dá acesso a um moderno flutuante coberto para atraques de embarcações. O local é administrado pela prefeitura do Município e oferece viagens diárias para as cidades de Santarém, Manaus (AM), Parintins (AM), entre outros destinos. O espaço recebe mais de 300 passageiros por dia e movimenta a economia local, já que foram criados 14 empregos diretos, e dezenas de indiretos ao redor do espaço.

Baixo Amazonas - Outros seis terminais hidroviários estão com suas construções em andamento na região do Baixo Amazonas, são eles os de Santarém, Santana do Tapará, Almeirim, Curuá, Faro e Prainha. As obras totalizam um pouco mais de R$ 82 milhões, com recursos financiados pela Caixa Econômica Federal.

ANDAMENTO DAS OBRAS - O terminal de Santarém tem 41% das obras concluídas; em Santana do Tapará (54%), Almeirim (58%), Curuá (74%), Faro (70%) e Prainha (78%). Pelo cronograma das obras, os terminais de Faro, Curuá e Prainha devem ser entregues em dezembro deste ano. Já os de Almeirim, Santana do Tapará e Santarém, em janeiro, fevereiro e maio de 2020, respectivamente.

Santarém: Com previsão de entrega para maio de 2020, o Terminal Hidroviário de Cargas e Passageiros de Santarém vai melhorar a mobilidade para mais de 302 mil pessoas, e deve receber em média, cinco mil passageiros por dia. Executada pela CPH e financiada com recursos da Caixa Econômica Federal, a obra foi orçada em quase R$ 60 milhões e segue em ritmo acelerado.

Terminal de Santarém deve ser inaugurado em maio de 2020"Não temos dúvidas de que será o terminal hidroviário mais moderno do Brasil. Em agosto visitamos as obras com o Governador Helder Barbalho, que pediu ainda mais celeridade da empresa na entrega da mesma. O terminal será mais uma ferramenta estratégica para o desenvolvimento da região do Baixo Amazonas, proporcionando uma melhoria no transporte para a população que também se movimenta pelos rios", completa Benassuly.

Reformas: Além dos seis terminais hidroviários que estão construídos no Baixo Amazonas, a CPH também realiza o processo de elaboração de projetos de reforma e adequação de infraestrutura hidroviária no Estado. Ao todo, 13 terminais estão envolvidos neste processo, sendo que dois já foram entregues e um tem concessão de uma empresa particular para operar.

Neste sentido, a CPH deve reformar, em breve, outros 13 espaços na ilha do Marajó. Em julho, durante as ações do Governo Por Todo o Pará na região, Governo do Estado, CPH e prefeituras municipais assinaram as ordens de serviço para elaboração de projetos de reforma e adequação de 10 terminais hidroviários: Cachoeira do Arari, Santa Cruz do Arari, Chaves, Melgaço, Anajás, Bagre, Afuá, Soure, Breves e Portel.

O investimento no valor de R$ 738.615,05, beneficiará os terminais de Breves, Santa Cruz do Arari, Melgaço e Soure. Enquanto que o valor de R$ 482 mil será destinado aos municípios de Afuá, Anajás, Bagre, Cachoeira do Arari, Chaves e Portel. Os prefeitos das cidades de Breves, Melgaço e Santa Cruz do Arari já entregaram à CPH os conceitos básicos dos seus projetos.

Terminal de Soure passará por reformas em breve

A Companhia aguarda, agora, pelos prefeitos das outras cidades marajoaras. Após os processos de elaboração destes projetos, os terminais também serão reformados pela CPH.

Vale lembrar que os terminais de Muaná e Ponta de Pedras estão em processo de revisão de projetos. Já o de Curralinho, está com as obras em andamento, enquanto que os terminais de Gurupá e São Sebastião da Boa Vista já foram reformados. O terminal de Salvaterra tem a concessão da empresa Henvil para operar.