Declaração reafirma compromisso de Governadores da Pan Amazônia com o desenvolvimento sustentável da floresta

28/10/2019 23h13 - Atualizada em 07/11/2019 13h22
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Com destaque para a importância da Assembléia Especial do Sínodo dos Bispos, as autoridades presentes na 1°Cúpula dos Governadores da Pan Amazônia realizada nesta segunda-feira, 28, no Vaticano, reafirmaram, por meio de uma declaração com 13 itens, o compromisso com o desenvolvimento sustentável da Amazônia, baseando-se nas premissas uma economia verde, no desmatamento ilegal zero e na defesa dos direitos dos povos indígenas e das populações tradicionais. Além de servir à missão do Papa Francisco, a proposta do documento é “convidar” organizações, instituições e a sociedade civil de maneira geral. Todos, de acordo com a Declaração, devem buscar soluções efetivas no esforço conjunto para manutenção da floresta em pé.

Há um apelo direcionado ao propósito de cooperação internacional voltado a financiamentos que apóiem a conservação da biodiversidade e o equilíbrio climático do planeta, conforme afirma o 5° item do documento: “Os países ricos devem ampliar seus compromissos de financiamento, de forma a reconhecer o valor dos serviços ambientais da Amazônia, que beneficiam toda a humanidade, e que são mantidos pelos amazönidas”.

O Governador Helder Barbalho assinou o documento, destacando a relevância do compromisso assumido por todos os governadores e autoridades presentes. “Encerramos o dia de reuniões e foi muito produtivo, discutimos com governadores e ministros os principais assuntos sobre a Amazônia. Deliberamos a primeira carta da Cúpula e anuncio em primeira mão que a próxima reunião será em Belém. Nada mais
justo do que discutir a Amazônia na nossa cidade”, disse o governador.

A ampliação das metas do Acordo de Paris, bem como a necessidade de regulamentação urgente do art. 6° desse acordo, também foram destacadas entre os itens da Declaração com o objetivo de valorizar financeiramente as reduções das emissões , o seqüestro e a manutenção dos estoques de carbono da floresta da Amazônia, no contexto da crise climática vivenciada no planeta.

O documento reconhece que a Amazônia está “ameaçada” e a importância da ciência na promoção do desenvolvimento sustentável. “Como medida concreta, apoiamos a constituição de um Painel Científico sobre o futuro da Amazônia apoiado pela Pontifícia Academia de Ciëncias do Vaticano”, destacou o 10° item. Além do Governador Helder Barbalho, a Declaração foi assinada pelo Governador do Amapá, Waldez Góes; pelo Governador do Amazonas, Wilson Lima; Pelo Governador do Piauí e
representante do Consórcio do Nordeste, Wellington Dias; pelo Governador do Maranhão Flávio Dino; pelo Governador de Huánuco, Juan Manuel Cornello; pelo Governador de Ucayali, Francisco Torres; pelo Governador de San Martín, Pedro Vargas, além de participantes a exemplo do presidente da Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), Daniel Santos e do Chanceler da Pontifícia Academia das Ciëncias,
Marcelo Sánchez Sorondo.