Higiene e atenção são as principais armas contra as doenças de verão

09/07/2017 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

No verão, doenças como conjuntivite, insolação, brotoeja, intoxicação e dengue aparecem com mais frequência. A umidade e a alta temperatura, o consumo de alimentos em áreas de lazer, a exposição prolongada ao sol e a aglomeração de pessoas são algumas das causas. Por isso, é essencial se prevenir cuidando da higiene pessoal e alimentar.

Por ser também o período de férias escolares, muitas famílias aproveitam para frequentar praias, piscinas e balneários, lugares que podem ser agentes de infecção. O médico Jorge José Faro diz que, ao visitar esses lugares, a atenção e a higiene devem ser redobradas, para evitar a contaminação de doenças. Auditor médico do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado (Iasep), ele alerta sobre os cuidados que se deve ter ao fazer uso de banheiros em locais abertos, como restaurantes e praias, locais onde se pode contrair doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Contra a insolação e a desidratação – e para evitar queimaduras na pele –, o médico aconselha o uso de filtro solar antes de qualquer exposição ao sol. Os próprios filtros trazem o alerta para a renovação da proteção após o mergulho na praia ou após longo período de exposição. Contra a desidratação, a recomendação é ingerir bastante água e sucos frescos, sempre observando a higiene na manipulação de bebidas e alimentos.

Alimentação – A gerente de Assistência Preventiva do Iasep, Kátia Andrade, explica que nesse período do ano é importante ficar atento para doenças transmitidas pelos mosquitos. “Nessa época do ano, a mudança climática facilita a reprodução do mosquito transmissor da dengue e outras doenças, por isso é muito importante ficar atento para os locais com água parada e com a higienização da casa”, diz.

Para prevenir a intoxicação alimentar, o médico Jorge Faro recomenda o consumo de alimentos assados, água e sucos naturais. Segundo ele, deve-se evitar ingestão de refrigerantes, bebidas alcoólicas, saladas cruas e alimentos gordurosos vendidos em locais abertos. A difícil digestão desse tipo de bebidas e alimentos e a falta de higiene no preparo e conservação são fatores que podem causar intoxicação alimentar.

Contra a conjuntivite e a otite, o médico adverte sobre a higiene das mãos e os cuidados com água suja. O uso de óculos de natação e a lavagem dos olhos depois de nadar ajudam a prevenir a conjuntivite. Contra a otite, o médico indica o uso de bolinhas de silicone no ouvido durante o banho de mar ou piscina, para evitar a entrada de água e irritação. Cotonetes podem ser usados para secar o ouvido.

Contra a brotoeja, segundo Kátia Andrade, deve-se ficar em lugares arejados, usar tecidos leves e roupas largas. A gerente de Assistência Privativa do Iasep alerta para o cuidado com crianças e recém-nascidos, que são os mais afetados pela doença. É importante secar bem a pele do bebê depois do banho e evitar o uso em excesso de loções hidratantes, para não causar irritação na pele.