Pará é contemplado com projeto de Educação Financeira para estudantes do Ensino Fundamental e Médio

Alinhar objetivos e metas que possam intensificar a aplicação da agenda da aprendizagem na rede pública de ensino estadual continua sendo uma das prioridades do governo.

06/11/2019 17h41 - Atualizada em 07/11/2019 14h27
Por Governo do Pará (SECOM)

Melhorias para a educação no Estado do Pará foram o foco da agenda do governador Helder Barbalho, em Brasília, nesta quarta-feira (6). Acompanhado da Secretária de Estado de Educação, o governador do Pará, Helder Barbalho, reuniu com representantes do Ministério da Economia, apresentando o plano de ação com vistas na manutenção de financiamentos internacionais; e do Banco Central do Brasil (Bacen), para a implantação de um projeto piloto de educação financeira que beneficiará 108 municípios.

Durante a manhã, os projetos educacionais realizados no Pará foram explanados pelo governador para o coordenador geral de Financiamentos Externos, Marcus Barreto, o subsecretário de Financiamento ao Desenvolvimento e Mercados Internacionais, Carlos Eduardo Lambert Costa e o secretário do Ministério de Economia, Erivaldo Gomes.

Com o propósito de dar continuidade ao financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em 2020, o chefe do executivo do Pará apresentou as ações na área de educação, entre as quais o ‘Movimento Educa Pará’, lançado no mês de julho.

“Para nós, é um momento muito importante porque vamos dar prosseguimento à parceria com o BID que está em fase de execução final. A ideia é que no momento em que estamos encerrando a primeira parceria já iniciemos a segunda na ordem de R$ 200 milhões”, afirmou Helder Barbalho.

De acordo com a secretária Leila Freire, as ações estão alinhadas às estratégias federais e englobam eixos como modernização das políticas educacionais; incorporação de práticas inovadoras na gestão; e aperfeiçoamento dos servidores. “Priorizamos a qualidade da educação que perpassa também pela infraestrutura física das escolas atrelada aos recursos humanos. Trouxemos outros diferenciais, como o olhar amazônico para nossas práticas. É o caso das 'Ecoparque Escolas', que consideram a adequação do aprendizado dos alunos alinhada ao arranjo produtivo local em que estão inseridos, por exemplo”, explicou Leila.

Educação Financeira - Na parte da tarde, o Governo do Pará e o Banco Central pactuaram a implantação de um projeto piloto de educação financeira. O termo de cooperação técnica deve ser assinado até dezembro e não prevê repasse financeiro ou ônus para o estado. A Seduc disponibilizará os espaços de aprendizado enquanto que o Bacen entrará com o material e a formação dos educadores.

Dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2017, disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam que apenas 11,9% dos estudantes do 5º ano do ensino fundamental alcançaram os níveis de aprendizagem adequada em português, e apenas 15,5%, em matemática – situação que se agrava no 9º ano, em que apenas 4,5% dos estudantes demonstraram níveis adequados de aprendizagem em matemática.

Tendo em vista a relação entre o ensino da matemática e o letramento financeiro, os baixos níveis de conhecimento matemático se constituem em um desafio adicional para a implementação da educação financeira como tema transversal. Para o Banco Central, a parceria tem o papel de garantir apoio institucional para a divulgação do Programa e a adesão de escolas. A parceria contempla desde a formação inicial de professores e diretores à avaliação de impacto, passando pela confecção de materiais específicos e aderentes à BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Com previsão de início no próximo ano letivo, a partir de fevereiro, o projeto beneficiará inicialmente 108 escolas públicas estaduais e municipais. “Entendemos que toda a rede pública de ensino precisa ser contemplada, não apenas a esfera estadual. O ‘Educa Pará’ é construído por laços colaborativos que envolvem o estado e municípios, em prol de uma educação com eficiência, eficácia e equidade”, ponderou a secretária.

O Programa será desenvolvido até 2022 com o alcance de cinco metas: realização de pesquisa com gestores escolares e professores; desenvolvimento de recursos educacionais; criação e manutenção da plataforma de gestão, monitoramento e desenvolvimento profissional; avaliação de aprendizagem e avaliação de impacto.

Educa Pará - O ‘Movimento Educa Pará: todos juntos pela garantia do direito de aprender’ foi lançado em julho. O projeto é desenvolvido por estado e municípios, governo, gestores e educadores para implementar a Agenda da Aprendizagem. A Seduc vem realizando encontros regionais para discutir e adotar estratégias pedagógicas que coloquem o aluno no centro do debate escolar; e lideranças escolares desenvolvam processos dinâmicos e inclusivos.

O Governo do Estado, por meio da Seduc, concentra esforços na reforma e ampliação de escolas em todo o Pará; contratação de novos professores; redirecionamento do transporte e da merenda escolar. O objetivo é garantir o suporte pedagógico e estrutura física para tornar a escola mais atrativa no processo de aprendizagem, para que estudantes se sintam motivados a concluir os estudos e ter mais oportunidades futuras no mercado de trabalho.