Hospital inicia ações do Novembro Azul em combate ao câncer de próstata

Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS), apontam que de janeiro e agosto deste ano, mais de 111 mil homens, com mais de 20 anos, foram internados no Pará.

08/11/2019 18h10
Por Mikaella Moraes (HRPL)

O Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas, deu início nesta sexta-feira (8), à sua programação alusiva ao Novembro Azul. Na Recepção central da unidade, foi realizada palestra sobre o câncer de próstata voltada para colaboradores e usuários do HRPL. Ministrada pelo urologista, Laureno Norat, a palestra teve como finalidade alertar os presentes sobre os riscos da doença e a importância da realização do exame anual, pelos homens, a partir dos 45 anos.

Segundo o especialista, “quanto mais velho o homem vai ficando, maior a chance dele ter câncer de próstata”, daí a importância de fazer o exame, regularmente. O médico esclarece que existem três formas de acompanhar a saúde da próstata: através do exame de sangue (PSA), a ultrassom da próstata e o exame do toque, o chamado exame físico, que só é solicitado pelo médico quando há dúvida sobre a existência de tumor.

“O paciente pode se recusar a fazer o exame do toque, não tem problema, mas quando a gente não tem acesso à textura da próstata, que é a forma mais simples de detectar um tumor, mandatoriamente tem que se fazer uma biópsia, que é um exame muito mais invasivo, e por ser um procedimento invasivo não é isento de complicação”, explica.

Dentre as especialidades oferecidas pelo Hospital Regional, a urologia é uma das que têm maior demanda. De janeiro a outubro deste ano, foram 1.952 consultas ambulatoriais, sendo a maioria, cerca de 80%, para atendimento a pacientes masculinos.

“Essas campanhas repetitivas que acontecem anualmente estão abrangendo uma população cada vez maior, e quanto mais divulgação, melhor. Contudo, ainda há um machismo muito enraizado. Dificilmente eu recebo um paciente sozinho, geralmente eles vêm acompanhados da esposa, e a contragosto”, destaca Norat.

Aos 71 anos, seu José Mendes foi diagnosticado com alterações na próstata. Encaminhado por uma Unidade Básica de Saúde (UBS), na cidade de Mãe do Rio, ele veio para sua primeira consulta com o urologista. “Se eu soubesse disso tudo antes, né, mas eu não sabia. Ouvindo aqui o médico falando a respeito de urinar muito, e eu passei por isso toda vida, se eu soubesse, tinha corrido atrás”, afirma.

O urologista, falou ainda do importante papel que as mulheres exercem quando o assunto é prevenção e a saúde de toda família. “A mulher vive mais do que o homem não é por questão genética, é porque ela se cuida muito mais. E nesse sentido elas têm um papel fundamental, de orientar, de cobrar, até porque com o câncer de próstata não é só o homem que sofre, a família toda sofre junto”, enfatiza, Norat.

A pedagoga, Adma Ivana Almeida (50), que veio de Rondon do Pará, disse ter ficado impressionada com o atendimento recebido em sua primeira consulta no HRPL. “Achei muito humano o atendimento e acredito que o tratamento começou desde já, com este momento que vivenciamos, tão acolhedor e tão rico de informações. Me sinto estimulada e vou aproveitar o Novembro Azul e fazer com que meu esposo venha fazer a prevenção”, destaca.

Estatística - A campanha Novembro Azul, que se repete anualmente em todo o país, tem o objetivo de estimular a população a debater mais sobre a saúde do homem e reverter estatísticas que apontam a indiferença masculina em relação à prevenção de doenças.

Até 2017, as causas externas ligadas à violência lideraram o ranking no Pará, com 6.084 óbitos; seguido por doenças do aparelho circulatório (5.222); e cânceres (2.550); Dos óbitos por câncer, o de estômago tem sido mais letal nos homens com residência no Pará. Só em 2017, causou a morte de 390 pessoas do sexo masculino, seguido pelo de próstata, que levou 387 a óbito nesse mesmo ano.

Em número de casos, segundo o DataSUS, em 2019, o câncer de próstata é mais recorrente: 78 confirmados entre 1º de janeiro e 5 de setembro deste ano, seguido por 52 novos pacientes de câncer de estômago no mesmo período. A tendência foi a mesma em 2018, finalizado com 222 casos de câncer de próstata, seguido por 153 de estômago.

Estrutura hospitalar – O Hospital Regional Público do Leste é um órgão do Governo do Estado do Pará que presta assistência de média e alta complexidade para uma população de aproximadamente 800 mil habitantes de 23 municípios do nordeste paraense. A unidade é referência Pará, como Centro de Atendimento de Urgência e Emergência às vítimas críticas em Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Para obter atendimento no HRPL, os pacientes são referenciados dos municipais e passam por avaliação da Central Regional de Regulação. Nos casos de urgências do SAMU, o hospital recebe os pacientes diretamente pelo Pronto Atendimento, com equipe de suporte 24h.

Serviço: O Hospital Regional Público do Leste (HRPL), está localizado na rua Adelaide Bernardes, s/n, bairro Nova Conquista, em Paragominas. Mais informações pelos telefones (91) 3739-1046 / 3739-1253 / 3739-1102