Bairro do Jurunas recebe oficina de formação de agentes ambientais

A atividade faz parte do Programa de Governo, Territórios Pela Paz (TerPaz)

22/01/2020 13h18 - Atualizada em 22/01/2020 15h01
Por Ronan Frias (COHAB)

A identificação de problemas socioambientais no bairro do Jurunas, em Belém, e a busca de soluções para as questões apresentadas estão entre os principais objetivos da Oficina de Formação de Agentes Ambientais, que ocorre na Escola Padre Benedito Chaves até a próxima sexta-feira (24). Desde segunda, os Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) ministram o curso voltado para estudantes, profissionais e moradores da comunidade. A atividade faz parte do Programa de Governo, Territórios Pela Paz (TerPaz), que trabalha inicialmente em sete bairros de Belém, Ananindeua e Marituba, na Região Metropolitana.

Os participantes do curso formam um grupo de trabalho diversificado: professores, estudantes universitários, donas de casa, profissionais autônomos, integrantes de outras áreas e moradores em geral da comunidade estão atuando para elaboração de planos de ação, com metodologia, para identificar os problemas ambientais e sociais do bairro e resolvê-los de forma coletiva.

“Há necessidade da educação ambiental em espaços não formais, como feiras, praças, praias, parques e outros ambientes e também em espaços formais como as escolas”, explica o geógrafo, educador ambiental da Semas, Lucivaldo Pontes.

A dona de casa, Edilene Aragão, considera a atuação da Semas muito positiva ao debater a questão ambiental no bairro. “A oficina de formação de agentes ambientais vai melhorar meu conhecimento e vou repassar para a vizinhança”.

Andreicy Pereira, engenheira florestal, disse que esta semana vai ser muito importante para a transmissão detalhada de valores ambientais para o grupo de participantes. “Acho interessante as orientações mais completas sobre os motivos porque não devemos jogar lixo na rua, as causas e efeitos no ambiente que se vive e na saúde. Isso ajuda na conscientização”, conclui.

Andrecy PereiraA trabalhadora autônoma, Luene Salomão, atua em salão de beleza e avalia que a ação “soma muito para a proteção ambiental no bairro”. A professora de educação infantil, Eliana Moraes, opina que é necessária a disciplina Educação Ambiental para as crianças dessa fase etária. “Comecei a perceber que elas precisam ter cuidado com o meio ambiente para o próprio desenvolvimento, crescimento com responsabilidade”.

Estudante universitária de Meteorologia, Emily Pires, afirma que “o debate de maneira geral sobre a questão ambiental nos faz entender que o meio ambiente é crucial para a vida”, assegura.