Governo recebe doação de água sanitária, cestas e kits de higiene

O material será entregue a famílias que tiveram a renda comprometida por conta das medidas restritivas de combate à covid-19

03/04/2020 15h33 - Atualizada em 03/04/2020 21h15
Por Larissa Noguchi (SECOM)

O governo do Pará recebeu na manhã desta sexta-feira (03) a doação de 20 mil litros de água sanitária, 20 mil litros de detergente, 5,7 mil cestas básicas e 5 mil kits de higiene (cada um com 3 litros de água sanitária e 3 litros de sabão). O material foi entregue pela empresa Equatorial Energia, que se reuniu na semana passada com o chefe do Executivo Estadual, Helder Barbalho, para estabelecer parceria e reforçar as ações no combate à covid-19. 

“A empresa atendeu prontamente à convocação do Governo do Estado para unir esforços no combate à disseminação do coronavírus. A Equatorial entende a importância desse papel e veio somar forças”, ressaltou Mauro Chaves, diretor de Relações Institucionais da Equatorial Energia. 

Os alimentos e os itens de limpeza serão entregues a famílias que tiveram a renda comprometida por conta das medidas restritivas de combate à covid-19. “Nós temos uma parceria estreita com o governo, não só no sentido de garantir o fornecimento de energia aos quatro cantos deste estado neste momento tão delicado, mas por entender precisamos unir esforços no combate a essa pandemia porque ela é um problema de todos nós agora”, finalizou Mauro Chaves.

Segundo Artur Houat, ouvidor-geral do Estado, “é de fundamental importância essa parceria da Equatorial porque a gente consegue, através do gesto de solidariedade da empresa, reverter esse benefício para a sociedade, para as pessoas que estão abrigadas no Mangueirão, pros abrigos e centros de acolhimento, garantindo com que eles possam permanecer em casa, permanecer com qualidade de vida e evitar a disseminação do Coronavírus”.

A importância da doação também foi destacada pelo ouvidor-geral, “porque é justamente esse o objetivo da prevenção. Na verdade, a prevenção vem justamente com as pessoas deixando de circular na cidade, nos centros urbanos. Essa é a maior prevenção, além da higiene, é claro. Então, se a gente conseguir alimento para as pessoas que hoje não têm renda, a gente, com certeza, vai avançar nesse sentido de prevenir a proliferação da contaminação pelo Coronavírus”.