Ação de acolhimento aos moradores em situação de rua continua em Santarém

São oferecidas atividades esportivas, religiosas, acesso a jogos interativos e também ações de saúde

11/05/2020 20h16
Por Ronilma Santos (SRGBA)

Resguardar moradores em situação de rua, dando-lhes dignidade, abrigo e uma oportunidade de se proteger do novo coronavírus, esses foram os objetivos do Governo do Estado ao iniciar no dia 6 de abril, a ação de acolhimento, que, em Santarém, é realizada em parceria com a prefeitura do município.

Inicialmente, a ideia era manter o abrigo por 20 dias, mas por conta dos números alarmantes, a coordenação do espaço decidiu continuar com os trabalhos, como explica Rosilene Andrade.

“Hoje, nós estamos com apenas 5 moradores, a maioria decidiu sair por motivos diversos, alguns voltaram para suas famílias, outros saíram porque tinham necessidade de ter uma liberdade maior e outros por conta da fissura no vício, mas, independente disso, nossa proposta é acolher os moradores que estão precisando. Agora, estamos verificando novas estratégias para darmos continuidade ao acolhimento emergencial”, explicou Rosilene.

Diariamente, os moradores participam de atividades esportivas, religiosas, têm acesso a jogos interativos e também passam por ações de saúde, como vacinação, medição de pressão arterial e testes rápidos.

Edson Vasconcelos, de 55 anos, é um dos moradores em situação de rua que continua no acolhimento, sem muitas opções lá fora, Edson conta que deve permanecer no abrigo até que a pandemia esteja controlada, já que ele é do grupo de risco e não teria como se proteger sozinho nas ruas, nesse momento.

“Eu prefiro ficar aqui até ter que tudo isso passe ou até que as atividades sejam encerradas. Lá fora, sem dinheiro, sem ter onde ficar ou dormir, fica mais difícil se proteger desse vírus”, declarou.

O secretário Regional de Governo do Oeste, Henderson Pinto, reforça a importância do acolhimento como medida preventiva à Covid-19.

“Apesar da redução no número de pessoas acolhidas, toda a equipe e estrutura vão continuar montadas. O trabalho segue no mesmo ritmo. É importante lembrar que o acolhimento é voluntário, as pessoas em situação de rua que foram para o local, foram por livre e espontânea vontade. Nós estamos acompanhando os números de casos em Santarém e a possível determinação de medidas mais drásticas, por isso entendemos que é necessário manter o abrigo, até para ter uma retaguarda a esses moradores, caso seja necessário”, destaca Henderson.