Programa Recomeçar beneficia quase 100 famílias atendidas pelo TerPaz

Saque auxilia na reconstrução de moradias atingidas por chuvas

23/05/2020 18h19 - Atualizada em 23/05/2020 21h56
Por Ádria Azevedo (IASEP)

Quase cem famílias atendidas pelo Programa Territórios pela Paz (TerPaz) receberão auxílio financeiro para recompor suas moradias após terem sido atingidas por fortes chuvas em Belém. A liberação do benefício, concedido por meio do Programa Recomeçar, foi divulgada pelo Corpo de Bombeiros e Defesa Civil Estadual nesse sábado (23), em uma lista publicada no site da corporação, que coordena o programa.

A lista, que já é a quinta chamada do Programa Recomeçar, inclui atendidos pelo TerPaz dos bairros Cabanagem, Una, Benguí, Terra Firme e Jurunas, além de moradores do Marco, previamente inscritos no programa por meio de visitas da Defesa Civil. Os saques do auxílio podem ser realizados a partir da segunda-feira (25), em qualquer agência do Banpará, mediante apresentação do RG e CPF da pessoa cadastrada no programa.

De acordo com o coronel Jayme Benjó, coordenador adjunto estadual de Defesa Civil, houve uma colaboração entre a Defesa Civil Estadual e a Secretaria de Estado de Articulação da Cidadania (Seac), que implementa o TerPaz. “Tanto nós da Defesa Civil quanto a equipe da Seac percebemos que entre os atendidos pelo TerPaz havia muitas pessoas impactadas pelas chuvas, justamente o público-alvo do Recomeçar. Então passamos, em parceria, a cadastrar moradores da Cabanagem, Benguí, Jurunas, Guamá e outros bairros que se enquadravam nos critérios do programa”, explicou.

Marisa Lima, coordenadora da rede local do TerPaz Cabanagem, participou do processo de cadastramento das famílias do bairro onde atua. “Desde que tomamos conhecimento do decreto que criou o Programa Recomeçar, soubemos que poderia beneficiar famílias que atendemos na Cabanagem, porque muitas tiveram suas casas devastadas pelas chuvas. Desde aquele momento, já fomos fazendo o levantamento das que poderiam receber o benefício. Depois, foi só dar encaminhamento aos pedidos em parceria com a Defesa Civil”, relata a assistente social.

Recomeçar - O programa, criado por decreto estadual em março, estipulou o auxílio financeiro para famílias que tiveram suas casas e pertences danificados por alagamentos e enxurradas ocasionados pelas chuvas durante os primeiros quatro meses de 2020. O benefício, no valor de um salário mínimo (R$ 1.045,00), é destinado à recomposição das moradias.

O prazo para cadastramento terminou em 30 de abril, mas as solicitações dos moradores atingidos ainda estão em análise e ainda haverá divulgação de novos nomes.