Emater alcança meta de Cadastro Ambiental Rural em Bonito

Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) alcançou agricultores e comunidades apontados pelo Programa Municípios Verdes (PMV)

14/09/2020 13h28 - Atualizada em 14/09/2020 14h00
Por Aline Miranda (EMATER)

Agricultor recebe o Cadastro Ambiental Rural (CAR), de sua propriedade agrícola familiar, das mãos de um dos técnicos da EmaterContornando todos os desafios impostos pela pandemia da Covid-19, o escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Bonito, no nordeste paraense, completará, este mês, a meta estabelecida pelo Programa Municípios Verdes (PMV) para o Cadastro Ambiental Rural (CAR) das propriedades da agricultura familiar.

Em Bonito, o processo de finalização de emissão do CAR para pequenos agricultores no âmbito do Acordo de Cooperação Técnica (ACT) com o PMV implementou duas etapas recentes: dia 27 de agosto, foram contemplados 39 agricultores de 11 comunidades e, dia 10 de setembro, mais 17 agricultores de oito comunidades. 

Os 18 agricultores ainda remanescentes receberão o documento na próxima quinta-feira (17), em ação de parceria entre Emater e Prefeitura, a partir de uma logística especial baseada em medidas protetoras em relação ao novo coronavírus, como uso de máscaras e disponibilidade de álcool em gel. Sob o devido distanciamento social, participarão as comunidades Alto Acaputeua, Estiva, Jari e Travessa do Cebola. 

O Acordo de Cooperação previu a execução da meta junto ao CAR ao longo dos últimos dois anos. Em Bonito, o planejamento, multi-institucional, considerou um público-alvo de 284 famílias, que vivem em áreas de até quatro módulos fiscais e dependem de mão-de-obra própria para empreendimentos de mandioca, milho, cultivo de hortaliças e criação de galinha caipira. 

Pela Lei federal 12.651/2012, o CAR, instrumento oficial de regularização ambiental, é obrigatório para qualquer imóvel rural. Sem ele, não é mais possível o acesso a políticas públicas do setor, como crédito e aposentadoria. O registro é um similar de CPF, mas, ao contrário de referente a pessoas físicas, trata das terras que as pessoas físicas ocupam. 

EXPANSÃO

De acordo com o chefe do escritório local da Emater em Bonito, o técnico em agropecuária José Gilmar Costa, o objetivo agora é dar oportunidade aos médios produtores, a maioria pecuaristas. “Como são grupos acompanhados também pela Adepará [Agência de Defesa Agropecuária], estamos conversando com representantes da Instituição para apoio mútuo”, pontua.