Sistema Alerta recupera mais de 50% dos veículos roubados no oeste paraense

Ferramenta funciona como um banco de dados de veículos e aparelhos celulares roubados, o que agiliza a atuação da polícia nas ruas

15/09/2020 15h32 - Atualizada em 15/09/2020 16h49
Por Aline Saavedra (SEGUP)

'Alerta PA' é de uso exclusivo dos agentes de segurança pública e funciona na região oeste estadual, mas será ampliado para todo o ParáCriado pela Diretoria de Informática e Telecomunicações (Ditel), vinculada à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup), o sistema web “Alerta PA” funciona como um banco de dados de veículos e aparelhos celulares roubados, consultado nas abordagens policiais realizadas na região sudoeste do Pará, especialmente em Altamira, na Transamazônica.

O aplicativo começou a funcionar em 2019, com os registros dos veículos, depois houve a ampliação para os aparelhos de comunicação móvel. Dos 843 registros de veículos roubados, 53% foram recuperados, em um pouco mais de um ano.  

A Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Segup) orienta a quem enfrenta a situação de roubo de veículo ou de aparelho celular, que entre em contato com o Núcleo Integrado de Operações (NIOp) 190 e informe o ocorrido, para o necessário registro e apuração. Não há a necessidade imediata de registro do Boletim de Ocorrência.  

De acordo com a Segup, os profissionais que realizam as abordagens policiais nas ruas já acessam a interface web do aplicativo para verificar se existe cadastro de roubo do aparelho, em questão. Essa observação é feita por meio do IMEI, número de identificação que todo celular tem e serve para que as operadoras e fabricantes dos aparelhos verifiquem as características de um telefone ou do veículo, checando a numeração da placa.

Atualmente o “Alerta Pa” é de uso exclusivo dos agentes de segurança pública e funciona na região oeste estadual, mas em breve, será ampliado para todo o Pará. Titular da Ditel, o coronel Odiney Nogueira afirma que a rapidez proporcionada pelo sistema aumenta as chances da recuperação dos itens roubados.

"A palavra chave é o compartilhamento das informações. Hoje, os agentes de segurança podem consultar mais um banco de dados, alimentado pelos atendentes do NIOp e que pode ser acessado em qualquer lugar com cobertura de dados móveis. Um processo simples que pode resultar na recuperação de forma  mais célere”, explicou o coronel Odiney Nogueira. 

O fator tempo é essencial para ter sucesso na recuperação dos materiais roubados. “Somos cientes que as primeiras 72 horas após os furtos e roubos de veículos são de suma importância para a recuperação deles. Este canal aberto entre a população e a segurança pública nos trouxe excelentes resultados, demostrando a importância da agilidade nas informações para as guarnições de serviço”, explica o sargento Gerson Rodrigues Sousa, diretor do Niop, em Altamira.