Acervo do Memorial do Porto na Estação das Docas está sendo restaurado

O espaço conta, por meio da exposição permanente de peças, a história da navegação no Pará

16/09/2020 09h34 - Atualizada em 16/09/2020 10h41
Por Beatriz Pastana (Pará 2000)

Equipes de restauro e montagem do Sistema Integrado de Museus estão trabalhando no acervo do Memorial do Porto

A Estação das Docas tem um imenso acervo cultural que remete aos costumes e tradições amazônicas gerados através dos séculos. Um exemplo de recorte histórico que chama a atenção do público frequentador do complexo turístico é o Memorial do Porto, localizado no Armazém 1. No local, estão em exposição permanente peças que fizeram parte do cotidiano da navegação no Pará. Hoje, esses artefatos estão passando por um processo de limpeza e restauração.

O Sistema Integrado de Museus (SIM), órgão ligado à Secretaria de Estado de Cultura do Pará (Secult), é o responsável pela restauração de diversos itens do Memorial do Porto. “As equipes que estão trabalhando aqui são as de restauro e montagem. Inicialmente, realizamos uma visita técnica para analisar o que precisará ser feito ao longo dos dias”, disse Nando Lima, coordenador de Curadoria e Montagem do SIM.

O marégrafo, instrumento que era utilizado para registrar automaticamente o fluxo e refluxo das marés, é uma das peças que compõem o vasto catálogo do Memorial do Porto. Excepcionalmente, foi o primeiro item a ser restaurado, devido a facilidade de manipulação.

“Trata-se de uma operação contínua e minuciosa, que preza pela preservação dos objetos, deixando-os mais limpos e atrativos. É algo que exige uma equipe qualificada para não danificar os materiais mais sensíveis, como os de porcelana, haja vista que alguns já tem cerca de dois séculos de existência”, comenta Roni Ferreira, supervisor cultural da Organização Social Pará 2000, que administra a Estação das Docas.

O processo de restauro teve início no último dia 11 de setembro e deve seguir até que todas as peças tenham sido inspecionadas e recebam os cuidados necessários. A conservação dos materiais históricos é essencial para preservação das memórias da navegação amazônica, além do conhecimento das inovações e dos hábitos de períodos anteriores.

Serviço:

Memorial do Porto, aberto diariamente de 10h às 23h. Visitação gratuita.
Local: Estação das Docas. Entrada franca, todos os dias de 10h às 23h.
Para entrar no complexo é obrigatório a utilização de máscara.
Endereço: Boulevard Castilhos França, S/N - Campina, Belém - PA