Representantes da Segup e Polícia Civil visitam associação de classe para estreitar atuação

17/09/2020 17h38
Por Walena Lopes (SEGUP)

Para alinhar ações pertinentes ao Sistema de Segurança Pública do Estado, visando à integração da Secretaria de Segurança Pública com o Sindicato de Delegados de Polícia Civil (Sindelp) a nova diretoria da Polícia Civil, acompanhada pelo Secretário de Segurança Pública, Ualame Machado, foram até a sede da instituição. O encontro ocorreu nesta quarta-feira (14), na sede da Associação dos Delegados de Polícia Civil (Adepol), no bairro de Batista Campos, em Belém.

Estiveram no encontro o Delegado Geral, Walter Resende e a Delegada Geral Adjunta, Daniela Santos juntamente com os delegados da associação. Para o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado a integração entre as forças de segurança é de fundamental importância para o bem comum entre os órgãos do sistema.

“Essa visita à sede da Sindelp, que é a Associação e Sindicato de Delegados de Polícia Civil, representa, o estreitamento com todas as outras categorias da Polícia Civil, para que possamos, cada vez mais, afinar o discurso e as ações com o sistema de segurança pública de modo geral. A ideia é se colocar à disposição junto com a assessoria Policial Civil que funciona dentro da Segup, para que o sindicato e associação possam nos repassar as demandas, e a assim poder tratar melhor, e atender as ponderações da associação e do sindicato quando possível, e dentro dos nossos limites. Nosso objetivo é o trabalho em conjunto, para um bem comum, que é a instituição da Polícia Civil”, disse o titular da Segup.

Segundo o Delegado-Geral, Walter Resende, a união entre as forças resulta em melhorias para os agentes e para a sociedade. “Muita satisfação estar aqui nesse momento de aproximação com os colegas delegados, junto ao sindicato, fortalecendo essa parceria tão importante para nossa atuação. Esperamos desenvolver um trabalho justo que venha a contribuir com todos que fazem a polícia civil”, Delegado Geral da Polícia Civil, Walter Resende.

Suporte – Assessoria Policial que é vinculada à Segup tem o papel de auxiliar e assessorar as atividades que envolvem os órgãos que compõe o Sistema de Segurança Pública, com o intuito de analisar, subsidiar e criar soluções aos assuntos que envolvem as instituições de segurança do Estado, aproximando e levando soluções aos problemas e tratativas pertinentes à pasta da segurança pública. A assessoria policial é formada por um representante das polícias civil e militar. 

Segundo a assessora policial da Segup, Delegada Ariane Santos toda e qualquer demanda relacionada às questões de segurança são analisadas e levantadas pela assessoria que subsidia as decisões tomadas pela secretaria no âmbito da gestão, incluindo ainda solicitações do poder legislativo e municipal, junto a segurança pública do Estado.

“Nosso papel é de filtrar e unir os interesses e necessidades dos órgão junto a secretaria, elaborando relatórios e auxiliando nas tomadas de decisão. Atendemos, inclusive à solicitações do poder legislativo e dos órgão municipais, nas questões referente a segurança pública, realizando o levantamento das necessidades e apresentando junto ao secretariado para que possamos construir soluções que venham a atender a necessidades de todos os órgãos e instituições do sistema”, reforçou.

Para o coronel da Polícia Militar Carlos Dantas a assessoria policial é uma ligação importante entre as instituições, não apenas as estaduais e municipais, bem como no nível federal, além de viabilizar recursos para atender as demandas de todos os órgãos.

“Assuntos referentes a área da segurança pública são demandados à assessoria policial da Segup, assim como assuntos que envolvem entidade fora do Estado, como às referentes a Força Nacional e Senasp que possuem agentes das nossas Polícias Militar e Civil, bem como do Corpo de Bombeiros e ainda do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC). Fazemos uma análise das questões que nos são apresentadas e elaboramos soluções para dar maior celeridade às solicitações que chegam até a secretária e assim agilizar os processos relacionados tanto aos agentes de segurança, quanto aos que envolvem a sociedade civil”, finalizou.