Programa avalia candidatos à cirurgia bariátrica no Hospital Jean Bitar

19/09/2020 13h02 - Atualizada em 19/09/2020 15h09
Por Joelza Silva (HJB)

Lusandra Costa, 41 anos, foi fazer a avaliação para se curar da obesidade e poder realizar o sonho de ser mãe“A preocupação com a minha saúde me trouxe aqui, mas tem algo também muito importante para a minha realização pessoal, que depende da minha cirurgia bariátrica: o meu sonho de ser mãe. A obesidade está dificultando o processo. Essa iniciativa do governo de Estado vai concretizar meu sonho. Quando ouvi as pessoas comentando, achei que fosse fake news, mas não é, é real. Quem precisa da cirurgia, assim como eu, pode acreditar e fazer a sua inscrição no Programa Obesidade Zero ”.

O relato é da dona de casa Lusandra Costa, 41, que foi ao Hospital Jean Bitar (HJB), na manhã deste sábado (19), para participar do mutirão que avaliou os candidatos a cirurgias bariátricas do Programa Obesidade Zero, do governo do Estado, que visa a diminuição da espera pelo procedimento no Pará. Serão feitas 40 cirurgias por mês, 20 no HJB e 20 no Hospital Público Galileu.

Segundo o secretário adjunto de Saúde Pública, Cipriano Ferraz, o objetivo da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) é que as pessoas candidatas à cirurgia bariátrica entrem no Programa Obesidade Zero o quanto antes, para que já sejam feitos os exames necessários e as consultas com os especialistas.

"Sabemos que a cirurgia bariátrica é muito complexa e envolve multiprofissionais, então, muitas vezes, o paciente tem que passar pelo endocrinologista, pneumologista, cardiologista, para que fique apto ao procedimento. Nossa expectativa é que, ainda neste mês de setembro, já tenhamos cerca de dez procedimentos feitos dentro do programa," diz.

O cirurgião Carlos Armando Ribeiro, coordenador do Programa Obesidade Zero: iniciativa é pioneira e inovadora no tratamento da doençaAssistência - Para o cirurgião bariátrico Carlos Armando Ribeiro, coordenador do Programa Obesidade Zero, a iniciativa é pioneira e inovadora no tratamento da obesidade no Estado, já que garante o livre acesso de pessoas com a doença para uma avaliação com uma equipe especializada. Mesmo que o candidato não atenda os critérios, ele será encaminhado para acompanhamento no ambulatório de Endocrinologia do HJB.

“O programa vai gerar saúde às pessoas com obesidade não só por meio da cirurgia bariátrica, mas também com assistência às pessoas com o grau da doença nível 1 e 2, que, mesmo não fazendo parte do grupo de pessoas aptas à cirurgia - sendo que nesse último nível (2), apenas os candidatos sem doenças associadas não fazem parte -, serão encaminhadas para atendimento pela equipe médica especializada, que contarão com toda a estrutura e atendimento da equipe multiprofissional do Hospital Jean Bitar”, destaca.

O eletricista Edson Mesquita Mirada, 45, um dos 60 candidatos convocados para participar do mutirão, chegou bem cedo ao HJB para ser avaliado. “Estou muito feliz. Vi a reportagem na televisão sobre o Programa Obesidade Zero e imediatamente me inscrevi e deu certo. Hoje estou aqui, e saber que vou ser acompanhado por uma equipe especializada em obesidade, em um hospital de renome no tratamento dessa doença, é motivo de muita alegria. A minha luta de oito anos contra a obesidade vai ter fim”, acredita.

O eletricista Edson Mesquita, 45: esperança de vencer a luta contra a obesidade

O HJB convocou, esta semana, 100 candidatos inscritos no Programa Obesidade Zero, 40 na quinta-feira (17) e 60 no mutirão deste sábado. A unidade vai seguir convocando 100 pessoas inscritas no programa, semanalmente.

Indicação - Segundo informações da equipe médica de endocrinologista do HJB, a obesidade é um problema grave de saúde pública, associado a mais de 100 doenças, entre elas alguns tipos de câncer, aumento da incidência de colelitíases (pedra na vesícula), hipertensão arterial, diabetes e doenças cardiovasculares.

A cirurgia bariátrica é considerada um dos mais importantes tratamentos da obesidade grau 3. O procedimento consiste na gastroplastia, redução no tamanho do estômago, com o objetivo essencial de perda de peso. Além disso, são feitas pequenas alterações chamadas de by-pess no intestino, que provocam efeitos metabólicos benéficos para o paciente obeso, especialmente em relação à melhora do diabetes.

Antes da realização do procedimento cirúrgico, os pacientes fazem acompanhamento multidisciplinar com endocrinologista, cirurgião, psicólogo e nutricionista, tanto no período pré como pós-operatório. No pré-operatório o objetivo é preparar o paciente sob o ponto de vista nutricional, psicológico e orgânico/físico, inclusive com o incentivo a uma perda de peso que vai otimizar o resultado da cirurgia. Esse preparo, segundo a equipe, deve ser feito por pelo menos seis meses antes do procedimento cirúrgico.

Serviço: O Hospital Jean Bitar funciona na rua Cônego Jerônimo Pimentel, bairro do Umarizal, em Belém. Informações: (91) 3239-3800.