Governo do Pará destaca importância dos cuidados e da proteção aos animais

Mangal das Garças e Polícia Militar abordam o trabalho desenvolvido para promover a saúde e bem-estar dos animais.

04/10/2020 12h21 - Atualizada em 04/10/2020 14h25
Por Giovanna Abreu (SECOM)

Seja colorindo os céus, encantando nas águas e nas florestas ou espalhando alegria nas casas e ruas paraenses, todos os animais necessitam de cuidados, amor e proteção. Neste domingo (4), comemora-se o Dia Mundial dos Animais e o governo do Pará desenvolve ações contínuas voltadas para amparo, defesa e bem-estar dos animais.

Governo do Pará desenvolve ações contínuas voltadas para amparo, defesa e bem-estar dos animais

Uma das importantes ações estaduais para fortalecer a atuação na proteção de animais silvestres e domésticos, além de auxiliar a população a identificar o órgão ao qual deve recorrer para denúncias de crimes ambientais foi a criação da Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa).

Em janeiro de 2020, o governador Helder Barbalho assinou um Decreto Estadual que homologou a Resolução 04/2019, do Conselho Superior da Polícia Civil do Estado do Pará, o qual modificou a nomenclatura da antiga Delegacia de Meio Ambiente (Dema) para a Demapa. A mudança objetiva seguir o padrão nacional para facilitar o direcionamento de ocorrências ao Pará e garantir maior atuação na proteção animal.

MANGAL DAS GARÇAS

Um dos pontos turísticos mais visitados de Belém, que realiza continuamente trabalhos de proteção e conservação da fauna e flora local, é o Parque Zoobotânico Mangal das Garças. Com 258 animais em seu plantel, distribuídos em 40 espécies de aves, cinco de peixes, quatro de répteis e seis espécies de insetos (borboletas), o Parque vive, atualmente, o período de reprodução dos guarás e das tartarugas-da-amazônia (Podocnemis expansa).

No Mangal das Garças, os animais recebem acompanhamento em diferentes áreas

Segundo Yomtob Hamoy, médico veterinário do Mangal das Garças, o trabalho no Parque envolve o tratamento de animais para reintrodução na natureza, reprodução, acompanhamento nutricional, proteção e conservação das espécies, entre outras atividades. 

Os guarás, por exemplo, que vivem livremente no interior do Parque, estão totalmente extintos em alguns estados brasileiros, como Rio de Janeiro e Piauí. O trabalho desenvolvido no Mangal para a reprodução é importante para a conservação da espécie e reintrodução na natureza.

Mangal das Garças: qualidade de vida para os animaisO trabalho do Mangal das Garças é feito em parceria da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Batalhão de Polícia Ambiental (PM-PA) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). 

“Para alguns animais, o Mangal das Garças, e todo o nosso trabalho, representa uma nova chance de vida. Quando a gente recebe animais frutos de apreensão, muitas vezes machucados, fazemos com que eles tenham uma qualidade de vida similar a que teriam livres na natureza, enquanto fazemos o tratamento e acompanhamento adequado até apresentarem todas as condições para serem reinseridos no seu habitat”, explica o médico veterinário.

POLÍCIA MILITAR

A PM do Pará conta, atualmente, com um canil composto por 27 animais. Também dispõe de 45 cavalos para ajudar no trabalho da cavalaria, além de cinco equinos destinados para as atividades de equoterapia. 

Polícia Militar conta com cavalos que ajudam no trabalho da cavalaria e nas atividades de equoterapia

Os animais possuem quatro médicos veterinários exclusivos em Belém e um profissional em Santarém. Segundo a capitã Claudia Rufino, subdiretora do Centro Médico Veterinário da Polícia Militar, os cuidados são intensos e diários para que eles estejam saudáveis e aptos para participarem das missões externas. 

“São vários cuidados para a prevenção de doenças, na área sanitária, nos tratamentos necessários e no manejo dos animais. Acompanhamos a realização dos exames regulares obrigatórios e das vacinas periódicas que precisam ser feitas em cães e cavalos”, explica. 

De acordo com a subdiretora da PM, os cavalos conseguem adentrar áreas onde o policiamento motorizado não alcança, como, por exemplo, terrenos mais acidentados. “Outra vantagem é o respeito que esses animais impõem, essenciais para dispersar multidões. Como eles não tem a sensibilidade humana aos gases e sprays de pimenta, se tornam aliados da PM em manifestações, por exemplo”, informa. 

Cães da PM auxiliam nas ações de combate a criminalidadeOs cães da corporação participam de treinamentos, pelo menos quatro vezes na semana, com prática de faro de narcóticos, uma das especialidades dos animais. Os animais participam de operações que envolvem policiamento ostensivo, patrulhas, detecção de entorpecentes, armas, munições e artefatos explosivos, demonstrações de cunho educacional e recreativo, entre outras inúmeras atividades.

MUDANÇA NA LEGISLAÇÃO

A Lei 1.095/2019, sancionada na última terça-feira (29), aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime. Conforme a nova legislação, a pena agora vai de dois a cinco anos de prisão, além de multa e a proibição de guarda de novos bichos. A lei também prevê punição a estabelecimentos comerciais e rurais que facilitarem o crime contra animais.

DIA MUNDIAL DOS ANIMAIS

A data marca uma homenagem a São Francisco de Assis, santo conhecido como protetor dos bichos. A escolha do dia para a celebração dos Animais ocorreu em 1931, durante uma convenção de Ecologia que aconteceu na cidade de Florença, na Itália. Durante a convenção, escolheu-se uma data para pudesse promover os princípios da Declaração Universal dos Direitos dos Animais. 

SERVIÇO

Denúncias de maus-tratos contra animais podem ser feitas pelo número 181, que funciona 24 horas por dia, ou pelo telefone da Demapa - (91) 3238-1225, em horário comercial.