Governo vai trocar todo o pavimento asfáltico da ponte sobre o Rio Guamá

Setran iniciará, no próximo mês, a substituição de 100% do pavimento asfáltico da pista da ponte

09/10/2020 10h46 - Atualizada em 09/10/2020 13h00
Por Kátia Aguiar (SETRAN)

Após a troca de todas as juntas de dilatação da ponte sobre o rio Guamá, a maior das quatro pontes do complexo da Alça Viária (PA-481), a Secretaria de Estado de Transportes (Setran) iniciará, no próximo mês, a substituição de 100% do pavimento asfáltico da pista da ponte.

Ao longo dos últimos 20 anos, várias pavimentações foram feitas, sem que o asfalto velho fosse retirado. "A pista está com mais de 18 centímetros de altura, provocando um desnível entre as juntas de dilatação e a pista de rolamento, que causa desconforto aos motoristas que trafegam no local”, detalha Afonso Picanço, engenheiro da Setran. 

O novo pavimento asfáltico será a última etapa de revitalização da ponte. Todas as camadas de asfalto antigas serão fresadas (raspadas), nivelando a pista a mesma altura das juntas de dilatação para que o novo asfalto seja colocado. “As juntas de dilatação são os elementos aplicados nos tabuleiros de pontes e viadutos, com a finalidade principal de promover a vedação das fendas que permitem a movimentação das estruturas”, explica engenheiro.

Revitalização concluída - A Setran concluiu a obra de revitalização e substituição do estaiamento, conjunto de 152 cabos de aço, que dão sustentação a estrutura. Também foi finalizada a limpeza e pintura de 4.000 metros de defensas (new jersey) e guarda-corpos.

A ponte sobre o rio Guamá é a maior das quatro do complexo da Alça Viária, com 1.950 metros, sendo 320 de vão livre entre os dois mastros do vão central. Com a substituição completa dos cabos-estais, foi restabelecida toda sua capacidade original, após quase 20 anos sem manutenção.

A substituição de todos os cabos-estais foi necessária em razão do avançado estado de corrosão das ancoragens, o que comprometeu em grande parte a estabilidade da ponte. A troca completa dos cabos-estais ocorreu de modo pioneiro, já que a manutenção corretiva foi realizada sem a paralisação do trânsito, reduzindo ao máximo o impacto no tráfego da Alça Viária, por meio do sistema de interrupções “pare e siga”. 

Entre os serviços de manutenção executados na ponte sobre o rio Guamá estão: levantamentos topográficos, substituição e protensão dos cabos-estais; instalação do sistema de para-raios, portas e alçapões metálicos de acesso aos mastros; substituição de todos os aparelhos de apoio e instalação de novos aparelhos de dilatação nas juntas estruturais de toda a ponte.