Semas promove oficina de agentes ambientais do TerPaz na Cabanagem

Formação é realizada na Escola Estadual José Valente Ribeiro, até esta sexta-feira (23)

21/10/2020 10h10 - Atualizada em 21/10/2020 10h45
Por Anna Paula Mello (SEMAS)

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) retomou, na segunda-feira (19), as atividades do Programa Territórios pela Paz, do Governo do Pará, para a formação de agentes ambientais em bairros considerados com fragilidades sociais na Região Metropolitana de Belém (RMB). Desta vez, a atuação foi na Cabanagem, direcionada aos moradores da localidade, e ocorreu na Escola Estadual José Valente Ribeiro. A oficina de formação continua até esta sexta-feira (23).

O Programa Territórios pela Paz (TerPaz) é uma iniciativa para melhorias e crescimento de comunidades, a partir da articulação de ações de segurança pública e de cidadania em sete bairros da Grande Belém: Guamá, Jurunas, Terra Firme e Benguí (Belém), Cabanagem e Icuí (Ananindeua) e Nova União (Marituba). 

Ação foi direcionada aos moradores do bairro, que vão receber certificado ao final da atividadeNo primeiro dia da oficina, os participantes receberam orientações sobre o histórico da gestão e legislação ambiental, envolvendo a Política Nacional de Meio Ambiente e outras informações, como o conjunto de influências e interações de maneiras física, química e biológica que abrigam e regem a vida, em todas as formas: florestas, rios, animais e as pessoas. “Meio ambiente é o conjunto de elementos naturais e sociais entre a sociedade e a natureza”, enfatizou Lucivaldo Senas, que ministra a oficina, juntamente a outros técnicos da Semas.

A diretora da escola Ivanilda Vieira da Silva destacou a importância da utilidade e apresentação do certificado de agente ambiental como currículo no mercado de trabalho. “Quero que vocês aproveitem esse aprendizado e apliquem na comunidade. Uma de nossas alunas conseguiu uma vaga de emprego por conta da formação de agente ambiental pelo TerPaz”, garantiu.

Moradora do bairro da Cabanagem há 36 anos, a cabeleireira Yemanjara Guimarães disse que nunca tinha visto uma iniciativa como esta, para formação de agentes e preservação do meio ambiente. Já a trabalhadora da área de saúde, Yara Cardoso, afirmou querer adquirir conhecimentos para reduzir o impacto da poluição e ter melhorias na saúde da população. O estudante universitário de pedagogia e ex-aluno da escola estadual, Evair Conceição, disse que “a educação e o ambiente são cruciais para a formação inicial do ser humano”: “Necessitamos do meio ambiente preservado”, avaliou.

A coordenadora de Educação Ambiental, da Semas, Andreia Monteiro, destacou que a oficina dará ênfase na educação ambiental e uma parte prática, com apresentação do plano de ação a problemas ambientais do bairro, com objetivo de transformar os agentes ambientais em multiplicadores de conhecimentos na comunidade. “Estamos retomando as atividades interrompidas em março pela pandemia do novo coronavírus, em uma fase de avaliação, com todos os cuidados de proteção à saúde dos participantes”, declarou.