Pesquisa mostra que Belém tem quatro hipertensos em cada 100 habitantes

25/04/2017 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

Belém, capital do Pará, tem mais de 1,4 milhão de habitantes, conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E em cada grupo de 100 moradores da cidade, quatro são hipertensos, segundo uma pesquisa realizada pelo Sistema de Informação da Atenção Básica (Siab), do Ministério da Saúde. Por ser a hipertensão (mais conhecida como pressão alta) uma doença silenciosa, muitas vezes o hipertenso ignora os sinais de alerta da doença, como dor de cabeça, falta de ar, distúrbios na visão, tontura e cansaço.

Um quadro que redobra as possibilidades de infarto e Acidente Vascular Cerebral (AVC), e serve de alerta principalmente nesta quarta-feira, 26 de Abril, data instituída como Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial.

Vários fatores podem elevar a pressão arterial, como diabetes, sedentarismo e má alimentação. O clínico geral João Gaby, médico do Instituto dos Servidores do Estado do Pará (Iasep), informa que o Instituto autoriza, em média, mil exames por dia, dos quais cerca de 30% são casos de hipertensão, principalmente em idosos.

Segundo ele, o diagnóstico de hipertensão é maior entre homens do que em mulheres, e mais comum a partir dos 30 anos. O médico alerta que é preciso estar atento aos sintomas, para não permitir a evolução da doença.  

Esforço cardíaco - A pressão alta obriga o coração a fazer um esforço maior do que o necessário para que o sangue circule pelo corpo. De acordo com o médico João Gaby, é considerada hipertensa a pessoa que apresenta resultados iguais ou acima de 14 x 09 na aferição da pressão arterial. 

Nos idosos, a doença pode ser ainda mais grave porque há uma grande incidência de aterosclerose, o endurecimento das artérias. Quando não são tomadas as devidas precauções, aumenta o risco de derrame, edema cerebral e insuficiência renal e cardíaca.

Controle - Mas quando a pressão arterial não está muito elevada, os remédios podem ser dispensados se houver o devido acompanhamento médico. Para alcançar esse controle, informa o médico João Gaby, também é preciso mudar o estilo de vida. “Começando pela redução no consumo de sal e adotar uma dieta rica em frutas e cereais. Outra recomendação é não fumar, pois, entre outros danos ao organismo, o cigarro dificulta ainda mais a circulação do sangue, e não ingerir bebida alcoólica, visto que ela provoca maior aumento na pressão arterial”, ressalta o clínico geral.

A prática de exercício físico também é um dos principais instrumentos de combate à hipertensão, e também ao diabetes. Segundo especialistas, andar de bicicleta 30 minutos por dia ajuda a reduzir a pressão sanguínea.

Para incentivar a prática de exercícios regulares, a Secretaria de Estado de Administração (Sead) mantém o Programa Servidor na Academia, oferecendo descontos que variam de 10% a 50%, para que os funcionários públicos estaduais frequentem academias de ginástica, em Belém e vários municípios do interior. O servidor encontra a lista das academias conveniadas no link https://goo.gl/jG028f.