Sespa divulga orientações sanitárias para o Dia de Finados

O principal objetivo é evitar aglomerações que propiciam a propagação do novo coronavírus no Estado

29/10/2020 18h12 - Atualizada em 29/10/2020 23h32
Por Roberta Vilanova (SESPA)

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) publicou, nesta quinta-feira (29), uma nota técnica com orientações sanitárias para prevenção da Covid-19 durante as homenagens no Dia de Finados, no próximo dia 2 de novembro. O objetivo principal é evitar as aglomerações que são decisivas para a propagação do novo coronavírus no Estado.

Além de medidas gerais, o documento, elaborado pelo Departamento de Vigilância Sanitária (Visa), traz orientações específicas destinadas a cada público, situação e ambiente, como visitantes, trabalhadores dos cemitérios, vendedores ambulantes, instituições religiosas e Vigilâncias Sanitárias Municipais.

Para o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho, essas medidas são fundamentais para manter o controle da doença no Pará. “Desde o início da pandemia, o governo do Estado, conforme prevê a Constituição Federal, tem cumprido o seu dever, mas é importante que a população e as instituições da sociedade civil também façam a sua parte para assegurar a saúde e o bem-estar de toda a população”, ressaltou.

Protocolos - Segundo a diretora da Visa, Milvea Carneiro, as orientações estão baseadas no Decreto Estadual nº 800, de 31 de maio de 2020, e nos protocolos sanitários estabelecidos no Programa Retoma Pará, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Ministério da Saúde.

Entre as medidas gerais, o documento recomenda que os responsáveis pelos cemitérios se estruturarem para abertura antecipada ao Dia de Finados e dias posteriores ao 2 de novembro para evitar aglomeração; exijam o uso de máscara por todos os visitantes, trabalhadores dos cemitérios e dos vendedores de flores, velas e alimentos, afiram a temperatura dos visitantes e ofereçam álcool a 70%, tanto na entrada quanto em pontos estratégicos do cemitério; reservem o horário entre 06 e 09 h para pessoas do grupo de risco; não realizem celebrações ou encontros nas capelas dos cemitérios; estabeleçam o prazo máximo de 45 minutos para visitação; não utilizem filtros de água ou bebedouros de uso coletivo; suspendam o consumo de alimentos e bebidas nos cemitérios, sobretudo nas áreas fechadas; mantenham sanitários providos de sabonete líquido, toalha descartável e lixeiras com tampa acionadas por pedal.

Uma medida importante é que as pessoas com resultado positivo ou com suspeita de Covid-19, e que estejam no período de 14 dias de isolamento, fiquem em casa.

As administrações dos cemitérios também devem ficar atentas ao fluxo de sepultamentos no Dia de Finados. “É importante isolar a área, manter o distanciamento de um metro e meio entre as pessoas e evitar aglomerações. Caso seja óbito de casos positivos ou suspeitos de Covid-19, deve ser seguido o protocolo já estabelecido”, explicou Milvea Carneiro.

Visitantes - O documento apresenta medidas específicas destinadas aos visitantes dos cemitérios, como as seguintes: as pessoas do grupo de risco (idosos, grávidas, lactantes e pessoas com comorbidades) devem evitar a ida aos cemitérios e às celebrações religiosas ou escolher horários com o fluxo menor de pessoas, e ainda evitar a circulação em locais com aglomerações; levar sua própria garrafa de água para beber e álcool 70% para assepsia das mãos; fazer visitas breves, permanecendo no local somente o tempo necessário para as homenagens; não receber panfletos nas portas dos cemitérios; ao levar flores e velas, evitar compartilhar esses artigos com outras pessoas, de modo a prevenir a transmissão cruzada do novo coronavírus - da superfície dos objetos para as mãos das pessoas, e vice-versa; evitar ficar tocando em superfícies, como túmulos e objetos de decoração (fotos, crucifixo, arranjos de flores etc.) e evitar o consumo de doces e bombons, pois o manuseio desses alimentos e o uso das mãos para abri-los, além da retirada da máscara para ingeri-los, potencializa a transmissão do coronavírus.

Para evitar acidentes, a Visa Estadual alerta que o visitante tenha muito cuidado com o manuseio do álcool 70% no momento de acender as velas e como uso próximo a locais com velas acesas, pois o álcool é uma substância altamente inflamável, tanto na forma em gel como líquida, capaz de causar incêndios e queimaduras graves.

Ao retornar para suas casas, os visitantes devem tomar todas as medidas de higienização já divulgadas desde o início da pandemia, principalmente em relação a roupas, sapatos e demais objetos pessoais.

Trabalhadores - Em relação aos trabalhadores dos cemitérios, a Visa Estadual orienta que as administrações exijam o uso e disponibilizem os equipamentos de proteção individual (EPIs) necessários para cada tipo de atividade, principalmente de limpeza, retirada e troca do lixo, e também orientem e fiscalizem as equipes de higienização para manutenção das condições de higiene das dependências dos cemitérios a cada três horas ou sempre que necessário.

Área externa - Os vendedores ambulantes devem ser orientados a manter distância de pelo menos dois metros entre uma banca e outra, manter disponível álcool 70% para uso próprio e para uso dos clientes; não permitir o consumo de alimentos e bebidas nas dependências do cemitério; priorizar métodos eletrônicos de pagamento, mantendo higienização frequente das máquinas de pagamento, assim como dos celulares, seus dispositivos e outros itens passíveis de contaminação, quantas vezes forem necessárias; nos pagamentos com cartões de crédito/débito, esses devem ser inseridos na máquina pelo cliente para evitar contato direto. Em caso de recebimento em dinheiro, higienizar as mãos após guardá-lo.

Às instituições religiosas, a Visa Estadual recomenda que não realizem celebrações nos cemitérios e mantenham o protocolo em cultos, missas e outras celebrações; devem orientar os membros da congregação a não realizarem manifestações que possam provocar aglomeração de pessoas.

Milvea Carneiro ressaltou que as Vigilâncias Sanitárias Municipais precisam fiscalizar se há cumprimento das medidas contra aglomeração e o distanciamento entre os trabalhadores e usuários, e se o cemitério cumpre as normas de higienização do espaço e orientação aos trabalhadores e usuários. “Os municípios poderão definir protocolos mais rígidos para o controle sanitário em seus territórios, caso sejam necessários”, afirmou.

Serviço: Confira a nota técnica com as orientações