Seap retoma projeto de limpeza e desinfecção de órgãos públicos

Custodiados do sistema penitenciário são mobilizados nas atividades de combate à pandemia de Covid-19

06/11/2020 16h38 - Atualizada em 06/11/2020 18h13
Por Vanessa Van Rooijen (SEAP)

Internos da Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (Cpasi), na Região Metropolitana de Belém, participaram de mais uma ação de limpeza e desinfecção em órgãos públicos para o combate à pandemia de Covid-19. O trabalho externo de custodiados, promovido pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), teve sua primeira ação em abril deste ano. Já foram atendidos mais de 40 órgãos e instituições estaduais que compõem o Sistema de Segurança e Defesa Social (Sieds).Os internos recomeçaram o trabalho no prédio da Procuradoria-Geral do Estado, em Belém

Um novo cronograma foi iniciado nesta sexta-feira (06), após os bons resultados da primeira edição. Os serviços de limpeza serão realizados ao longo do mês de novembro. A ação da Seap contribui para prevenção ao contágio pelo novo coronavírus. Com a retomada do trabalho externo, o primeiro órgão a receber a limpeza e desinfecção foi a Procuradoria-Geral do Estado (PGE). Em seguida, o cronograma prevê ações em oito delegacias de Polícia Civil; na Secretaria de Estado de Cultura (Secult); no Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), e em prédios da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa).

Para o interno Luan Coelho, é bom participar de projetos que ajudam outras pessoas e servem de exemplo para outros internos do sistema penitenciário. “É muito gratificante. Eu estou ajudando outras pessoas que poderiam contrair o coronavírus. Estamos combatendo isso. Além de ser um grande trabalho que está sendo feito com a gente”, disse Luan, para que os projetos da Seap mostram o compromisso com a ressocialização.

De acordo com Belchior Machado, diretor de Reinserção Social da Seap, o objetivo do projeto é promover a participação dos custodiados no combate à pandemia, com a limpeza e desinfecção de órgãos públicos. "Isso demonstra o desejo e a vontade que eles têm de se reinserirem socialmente. Para garantir a segurança no trabalho e resguardar a saúde dessas pessoas, todo o cuidado com equipamentos de proteção individual é garantido, de acordo com as atividades desenvolvidas. Além disso, os apenados recebem remição de pena pelo trabalho executado", reiterou o diretor.