Hemopa espera por doações para aumentar estoque de sangue

20/04/2017 00h00
Por Redação - Agência PA (SECOM)

A Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa) volta a pedir o apoio dos doadores voluntários de sangue. No momento, o estoque do hemocentro está em condições críticas de atendimento com a redução de 60% nas coletas. A baixa poderá interferir na demanda transfusional diária da rede hospitalar que corresponde ao atendimento aproximado de 15 mil leitos no Pará.

Para tentar reverter o quadro de elevada insuficiência de voluntários, a Gerência de Captação de Doadores (Gecad) intensifica ações estratégicas com apoio de instituições parceiras. Nesta quinta-feira, 20, e amanhã, 21, acontece campanha externa de doação de sangue com membros da Igreja Batista, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.

No sábado, 22, o hemocentro contará com a parceria da Igreja Adventista, por meio do projeto “Vida por Vidas”; e da Assembleia de Deus, com ação interna na sede do hemocentro, durante todo o dia.

A jovem Cibele Ananda de Souza Pinheiro, 18 anos, atendeu o apelo do hemocentro. “Temos que ser mais solidários com o próximo. É tão simples. Agora quero incentivar meus amigos e meu namorado para doar sangue também”, comentou a estudante.

Apelo - A paciente Jamile Cristina Melo Carneiro, 15 anos, portadora de anemia falciforme (doença  hematológica caracterizada pela produção anormal de hemoglobinas), faz parte dos quase 15 mil pacientes com atendimento ativo no Hemopa, onde a maioria precisa de transfusão de sangue a vida toda.

A mãe da adolescente, Ivete do Socorro Melo da Costa, 58, conta que descobriu a doença da filha aos dois anos de idade e, desde então, vem sendo acompanhada pelo Hemopa. “Jamile faz transfusão todo mês. Por isso, peço que as pessoas doem sangue. Sempre convido amigos, pois não é só para a minha filha. Muitas pessoas precisam de sangue”, comentou.

O operador de máquinas pesadas Arnaldo dos Santos Palha, 53, também necessita da doação de sangue feita por voluntários. Ele tem mielodisplasia, um tipo de câncer que afeta a medula óssea, que já não produz as células que formam o sangue em quantidade suficiente.

Paciente do hospital Ophir Loyola, Arnaldo já recebeu 16 bolsas de sangue. Na última semana foram 16 injeções que ajudam a estimular o fortalecimento do sistema imunológico. Agora, ele se prepara para receber um transplante de medula óssea. Mas, para isso, Arnaldo precisa tomar uma série de cuidados pré-hospitalares antes do procedimento, um deles é continuar recebendo transfusão.

Hoje, o baixo estoque do Hemopa é uma das preocupações. O medo de ficar sem o sangue é constante. “Eu necessito de sangue para viver e conseguir realizar o transplante de medula óssea. Peço a todos, por favor, que compareçam para a doação de sangue. Estendam os braços e ajudem os doentes que tanto esperam por esse gesto para continuarem com a esperança de lutar pela vida”.

São diversas as frentes de ações desenvolvidas pela captação. Um dos exemplos é a “Caravana Solidária”, com oferta de transporte para pequenos grupos de voluntários e busca de doadores por telefone, email, aplicativos. “Estamos convocando todas as pessoas que são doadoras em potencial”, concluiu a assistente social.

Quem pode doar? Pessoas com boa saúde, que tenham entre 16 e 69 anos e pesem acima de 50 quilos. Menores de 18 anos podem doar somente com autorização dos pais ou responsável legal. É necessário portar documento de identidade original, assinado e com foto, além de estar bem alimentado. O homem pode doar a cada dois meses e a mulher, a cada três.

Serviço: A Fundação Hemopa fica na travessa Padre Eutíquio, 2.109, em Batista Campos, e no acesso ao Pórtico Metrópole, na entrada do shopping Castanheira (BR-316, km 1). As coletas são feitas de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h, e aos sábados, das 7h30 às 17h. Mais informações: 08002808118. 31106500.

Com informações de Leila Cruz – Ascom Hospital Ophir Loyola