Registros de furtos de hidrômetros caem pela metade no Pará

Com apoio da área de Segurança Pública e denúncias feitas pela população, Cosanpa tem combatido o crime no Estado

16/12/2020 11h42 - Atualizada em 16/12/2020 13h44

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) registrou queda significativa no número de furto de hidrômetros, no Estado, em 2020. De janeiro a dezembro de 2019, foram contabilizados 1.254 furtos. De janeiro a novembro de 2020, os registros caíram para 633, o que representa uma redução de cerca de 50%. Só no mês de novembro do ano passado, 192 aparelhos haviam sido furtados, enquanto no mesmo mês deste ano, a contabilidade foi de 68 equipamentos.

Em novembro, cinco hidrômetros furtados foram recuperados e uma pessoa foi detida pela polícia portando os equipamentos. O crime de furto ocorreu nos bairros Jurunas, Cidade Velha e Batista Campos e os equipamentos foram devolvidos à Companhia no último dia 26, durante o inquérito de flagrante, na delegacia do Jurunas. Já o homem que teria provocado os danos foi liberado e responderá o processo em liberdade.

Apesar da devolução, os equipamentos foram danificados e não poderão mais ser utilizados. Os donos dos imóveis que tiveram o hidrômetro furtado receberão novos marcadores sem custo. Porém, toda vez que um aparelho é furtado, os custos chegam a R$ 295 para a compra de um novo equipamento, reparo da rede e recomposição do que foi destruído – custos estes que são desembolsados pela Cosanpa.

Além de ser crime, o furto de hidrômetros causa transtornos para toda a população. Os primeiros a sofrerem as consequências do ato criminoso são os moradores da residência de onde o medidor de água foi furtado, já que o dano à tubulação gera a falta de água e o prazo para a Companhia de Saneamento do Pará atender ao pedido de religação é de até 24 horas, após a solicitação. O furto gera também desperdício de água tratada, pode acarretar em diminuição da pressão na rede, prejudicando o abastecimento de toda a vizinhança.

"O furto de hidrômetros ainda é um desafio para Cosanpa, principalmente pelos transtornos causados aos nossos clientes e pelos custos elevados que a Companhia tem que dispor para movimentar equipes, restabelecer o abastecimento de água nos imóveis e reparar os vazamentos causados por essa atitude de vandalismo. A partir de 2019, com o apoio da equipe de Segurança Pública do governo do Estado e a colaboração da população que denuncia, registra e informa o furto de hidrômetros em nossos canais de atendimento, conseguimos agora em 2020 reduzir em até 50% essas ocorrências, inclusive com a detenção de infratores e a aplicação das medidas penais cabíveis”, explicou Edson Cardoso, gestor de negócios da Cosanpa.

Em casos de furto de hidrômetros, o morador deve fazer o registro nos canais de atendimento da Cosanpa para que o vazamento provocado pelo crime seja sanado e o serviço de água seja restabelecido. O prazo de atendimento é de até 24 horas. Já para instalação de um novo hidrômetro, o prazo é de até 90 dias e é necessário o registro da ocorrência em uma unidade da polícia. Durante este período, nas faturas seguintes, virá o cálculo médio do consumo histórico mensal do cliente. É importante que o cidadão compareça à delegacia mais próxima ou na Dioe (Divisão de Investigação e Operações Especiais) para que a pessoa que tenha o hidrômetro furtado tenha o respaldo.

Canais de atendimento Cosanpa:

Site: www.cosanpa.pa.gov.br

Telefone: 0800 70 71 195 (apenas chamadas de telefone fixo)

Divisão de Investigação e Operações Especiais (Dioe): Avenida João Paulo II, nº 948.

Por Tayná Horiguchi (COSANPA)