Produtores comemoram adesão do Pará ao Sistema de Inspeção de Origem Animal

Certificação aumenta o mercado consumidor, em âmbito nacional, fortalecendo a agroindústria familiar, a média e a grande indústrias paraenses

06/01/2021 14h19 - Atualizada em 06/01/2021 15h51

Ampliação do mercado consumidor para as agroindústrias; aumento da geração de empregos e renda; melhoria na prestação de serviço à população; garantia de alimentos seguros; respeito ao Código de Defesa do Consumidor e estímulo à formalização das agroindústrias são algumas das vantagens consequentes da melhoria dos Serviços de Inspeção. Em 2021, com a certificação do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), a tendência é de mais fomento à agroindústria do Pará.

Produtor de Bannach, Donizete Costa comemora a certificação Com a adesão do Pará ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, os produtores paraenses podem pedir a equivalência do SIE (Serviço de Inspeção Estadual) ao SISBI-POA, e ficam autorizados a comercializar em todo o território brasileiro, caso estejam aptos e comprovem equivalência aos padrões do SIF.

Na prática, essa autorização aumenta em âmbito nacional o mercado consumidor e fortalece a agroindústria familiar, a média e a grande indústrias paraenses, com possibilidades dos segmentos gerarem mais empregos e renda. 

Para o pecuarista Geraldo Teotônio Jota, que desenvolve a pecuária paraense desde 1972, esta é uma conquista ímpar para o setor produtivo paraense. “O Pará entra em outro nível para o agronegócio. A renda per capita do produtor vai aumentar, pois poderemos colocar nossos produtos em todos os quadrantes deste país".

"Assim, nós, produzindo do campo e a Adepará fiscalizando, conseguirmos conquistar novo mercados, verticalizando nossa economia", opina o pecuarista Geraldo Teotônio Jota.

Qualidade e Mercado - A autorização junto ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, concedida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), permite a ampliação do mercado paraense de produtos de origem animal, desde 23 de dezembro de 2020. 

A formalização do novo certificado ao estado do Pará foi publicada, no Diário Oficial da União, por meio da portaria nº 193, de 21 de dezembro de 2020, que reconheceu a Equivalência do Serviço de Inspeção Estadual do Pará, para Adesão ao SISBI-POA.

Para Camila Israel Pio, proprietária de um frigorífico, no município de Bragança, região nodeste estadual, a certificação proporciona um ganho em qualidade e valor monetário, uma vez que projeta a carne paraense para mercados de todos os estados, e também legitima a qualidade do produto com mais um selo que requer um conjunto de normas de inspeção sanitária.

“Ou seja, para que o nosso produto tenha o selo SISBI- POA, precisamos seguir uma série de rigorosas exigências, o que, a princípio, pode parecer difícil, porém traz grandes ganhos, porque agrega valor ao produto e legitima a qualidade do nosso produto”, avalia.

O produtor Donizete Souza Costa, do município de Bannach, na região sudeste paraense, proprietário de um laticínio que fabrica queijos, festeja a possibilidade de ampliação do mercado consumidor e a possibilidade de expansão do negócio.

“O Pará está de parabéns por esta conquista. Já imagino o aumento da produção do meu negócio e a possibilidade de contratar mais mão de obra. Dessa forma, acabo contribuindo também para a movimentação do mercado da minha cidade e isso me deixa muito feliz”, comemora o produtor rural.

Agronegócio - O Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal padroniza e harmoniza os procedimentos de inspeção de produtos de origem animal para garantir a inocuidade e segurança alimentar. No Pará, a inspeção e a fiscalização de produtos, de origem animal e vegetal, são da competência da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), que solicitou a certificação ao MAPA.

“Essa certificação é algo muito bom, pois mostra, de forma cabal, as mudanças positivas pelas quais passa a Adepará”, afirmou o superintende do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Luiz Pinto de Oliveira.

Os Estados, o Distrito Federal e os Municípios podem solicitar a equivalência dos seus Serviços de Inspeção com o Serviço Coordenador do SISBI. Para obtê-la, é necessário comprovar ter condições de avaliar a qualidade e a inocuidade dos produtos de origem animal com a mesma eficiência do Ministério da Agricultura.

Para que o Pará fosse autorizado, a Adepará precisou atender uma série de exigências e normas estatuais e federais, estabelecidos pelo MAPA, todas publicadas na Instrução Normativa n° 17/2020. Entre as exigências, estão o cadastramento dos serviços inspeção, estabelecimentos e produtos inspecionados no e- SISBI; apresentação de requerimento de solicitação e elaboração e apresentação de um Programa de Trabalho.

A certificação faz parte do Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agropecuária (SUASA). “Para adesão ao SISBI-POA, a Agência de Defesa passou por uma reestruturação técnica do seu serviço de inspeção, com padronização dos procedimentos, garantindo, assim, que esses estabelecimentos e que os produtos produzidos nesses locais tenham qualidade e sejam inócuos à saúde humana”, informa Jamir Macedo, diretor-geral da Adepará.

Estão sujeitos às inspeções os animais de açougue, os animais silvestres e exóticos para abate autorizado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama); o pescado; o leite; o ovo; o produto das abelhas e diferentes espécies de animais destinadas ao consumo humano.

"A adesão ao SISBI-POA é uma pauta de extrema importância para o agronegócio paraense, porque agora teremos a expansão dos mercados paraenses a nível nacional. Assim, os produtos produzidos no estado do Pará, passam a poder ser comercializados em todos os estados do Brasil. Consequentemente, nós teremos mais geração de emprego, renda e desenvolvimento do setor agroprodutivo do nosso Estado”, enfatizou Jamil Macedo.

Por Manuela Viana (ADEPARÁ)