Estado entrega em Ananindeua 10 leitos exclusivos para pacientes de Covid-19

O aumento do número de leitos exclusivos para o enfrentamento à pandemia vai aliviar a pressão sobre a rede municipal de saúde

05/03/2021 20h58 - Atualizada em 05/03/2021 22h44
Por Bruna Brabo (SECOM)

A ampliação de leitos no Hospital das Clínicas de Ananindeua integra as estratégias do governo do Estado de enfrentamento à pandemiaNa tarde desta sexta-feira (5), o governador Helder Barbalho entregou mais dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento de pacientes com a Covid-19, no Hospital das Clínicas de Ananindeua. O convênio firmado pelo Estado com a Prefeitura de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, visa desafogar a rede municipal de saúde. 

“Garantir atendimento para a nossa população é a nossa missão. Temos buscado parcerias com os municípios para assegurar que haja leitos clínicos e de UTI disponíveis para a população. Juntos, estamos trabalhando para garantir a oferta no atendimento, e assim salvar a vida dos paraenses. Mas se não houver a compreensão das pessoas de que estamos numa segunda onda, com muito mais incidência de contágio, nós teremos certamente um agravamento no sistema de saúde”, frisou Helder Barbalho.O governador Helder Barbalho e o prefeito de Ananindeua, Daniel Santos, na visita às instalações do Hospital

“Nós estamos com mais de 1.200 leitos de UTI disponíveis em todo o Estado para garantir atendimento específico para Covid-19. Nós já tínhamos a estratégia com bom êxito na região Oeste”, acrescentou Helder Barbalho.

"Construir pontes" - O prefeito de Ananindeua, Daniel Santos, agradeceu pela atenção do governo do Estado aos municípios nesse momento difícil de enfrentamento a mais um pico da doença. “Estamos no momento em que devemos construir pontes e nos unir para virar essa página triste da nossa história, e hoje, através da nossa união, a gente abre mais 10 leitos de UTI e desafoga as nossas Unidades Básicas, que já estavam com quase 100% de ocupação dos leitos”, ressaltou o prefeito. 

Entre as mais recentes estratégias de combate à pandemia, o governo do Estado abriu 234 leitos reservados ao tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus em todo o Pará. São 100 leitos clínicos no Hospital de Campanha de Belém, no Hangar; 10 leitos de UTI em Redenção, na região Sul; 30 leitos clínicos em Altamira, no Oeste; mais 30 leitos clínicos e 20 leitos de UTI em Castanhal, na RMB; oito leitos de UTI e 16 leitos clínicos no Hospital Municipal de Marabá, no Sudeste, além de mais 10 leitos de UTI e 10 leitos clínicos no Hospital Regional de Marabá.Helder Barbalho informou que o Estado busca parcerias com os municípios para assegurar leitos clínicos e de UTI à população

O Estado também agiu rápido para desafogar a rede municipal de saúde dos municípios da Região Metropolitana de Belém, retomando os atendimentos exclusivos para pacientes com sintomas leves e moderados de Covid-19 na Policlínica Metropolitana neste sábado (06). Serão 600 atendimentos por dia, de domingo a domingo. Hoje, o governo aumentou o número de leitos em Ananindeua, o segundo município mais populoso do Estado.