'Pousei forçado. A aeronave parou', disse o piloto paraense resgatado neste sábado, 6

O Grupo Aéreo de Segurança do Pará, da Segup, atuou na busca e resgate de Antônio Sena utilizando aviões e helicópteros, e, hoje, o levou para Santarém

06/03/2021 19h16 - Atualizada em 06/03/2021 20h03

O piloto Antônio Sena em um forte abraço a integrante do Grupamento Aéreo de Segurança Pública, que o levou de volta para casa Ao ser resgatado na tarde deste sábado (06), o  piloto paraense Antônio Sena afirmou para os policiais que fazem parte do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), do Governo do Estado, que a aeronave que ele pilotava “parou” de funcionar e ele conseguiu fazer um pouso forçado. O relato de Antônio foi feito logo após descer do helicóptero, que o resgatou em meio à mata fechada em uma região próxima  da divisa com o Amapá, na localidade chamada Igarapé Puxuri.

“Pousei forçado. A aeronave parou (de funcionar). Como eu vinha voando baixo em três mil metros e ali tinha serra de dois mil metros e um pouco mais, o tempo que eu tive foi de tentar reacender (o avião) e não consegui. Como eu não consegui, já fui buscando local para pouso. Fui encontrando um vale, desviando das árvores maiores até que consegui pousar em um valezinho no meio de duas serras”, recordou Antônio Sena.

“Então ele (o avião) entrou e eu bati nos açaizeiros e ele (o avião) entrou de bico no igarapé certinho. Ele está de cara no igarapé. Como é tudo muito rápido, eu só lembro de conseguir sair do cockpit e minha mochila estava jogada do lado, peguei minha mochila, um saco de pão, algumas coisas e me afastei da aeronave, que tinha muito óleo diesel. Aí peguei uma corda e o que pude pegar que tinha na aeronave e que fosse me ajudar no meio do mato. Não demorou muito e a aeronave começou a pegar fogo. Ela está queimada. Uma parte esta queimada”, detalhou.

Na tarde deste sábado, em Santarém, Antônio Sena recebeu o afeto da família e amigos, que seguiam acreditando em sua volta O piloto paraense Antônio Sena disse ainda que marcou pelo GPS a localização da queda da aeronave em que estava. “Ainda fiquei uma semana lá. Eu ouvia aeronave passar um pouco longe, nenhuma muito próximo. Passada uma semana que vi que demorou e mudou a frequência de aeronaves entendi que não viriam mais”, relatou Antônio Sena ao comentar o momento em que decidiu buscar ajuda.

“Atuamos desde o início da notícia em que o piloto havia desaparecido. Empreendemos todos os esforços junto com os demais órgão de controle para que ainda pudesse achar o piloto com vida. Após algumas semanas, as buscas foram interrompidas. Tivemos a grata satisfação de saber que nestes dias ele foi encontrado por um grupo de catadores de castanhas. O Graesp mais uma vez atuou na busca e resgate utilizando aviões e helicóptero”, afirmou o secretário de Segurança Pública do Estado, Ualame Machado.

O reencontro emocionado e festivo do piloto com seus familiares e amigos na chegada dele a Santarém na tarde deste sábado, 6 “Levamos toda assistência para que pudesse ser resgatado o mais rápido possível para tratar de sua saúde e pudesse encontrar sua família em Santarém. Estamos muito felizes com isto e poder ter contribuído mais uma vez salvando vidas”, comemorou Ualame. 

O secretário regional de Governo do Oeste do Pará, Henderson Pinto, admitiu uma grata surpresa ao ser informado que, após 39 dias sumido, o piloto foi encontrado com vida. O secretário acredita que esse episódio surpreendente e de final feliz vai marcar a história de Santarém.  

“Algo impressionante é a fé das pessoas que oraram e da família que não desistiu. Nossa grata alegria e surpresa foi encontra-ló, onde o Governo do Estado pôde prestar o seu papel na ajuda das buscas e agora do resgate naquela área muito remota. Em nome do Governo do Pará agradecemos todos aqueles que se empenharam durante quase estes quase 40 dias para este esse desfecho fantástico”, disse.

O Resgate 

Secretário de Segurança Pública do Pará, Ualame Machado: "Estamos muito felizes de ter contribuído mais uma vez, salvando vidas” O delegado José Humberto que faz parte do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e quem pilotou o avião que levou Antônio Sena até Santarém, explica que o resgate realizado na tarde deste sábado (06) foi feito em um local de acesso extremamente complicado, localizado nas redondezas do Rio Paru  e um pequeno vilarejo próximo à pista de pouso do Paricá. Do local de resgate, Antônio Sena foi levado de helicóptero em um voo que durou 45 minutos até o município de Prainha. 

“O Estado mais uma vez mostra sua força e capacidade de resposta rápida. De imediato, o Governo do Estado deslocou dois aviões e um helicóptero para que fosse traçar a logística e resgate do piloto. Inicialmente a base da operação foi concentrada em Laranjal do Jari, no Amapá, posteriormente iniciamos a busca da localização exata do piloto desaparecido. A equipe responsável pelo helicóptero foi ao local, resgatou o piloto e levou para Prainha. De lá então seguimos em nossa aeronave para Santarém onde solicitamos prioridade de pouso e atendimento medico imediato”, relatou o delegado.

Recepção calorosa 


Mesmo com as medidas restritivas solicitadas pelas autoridades de vigilância sanitária, após saber que Antônio Sena estava sendo levado para Santarém, amigos e familiares correram para o aeroporto do município para dar as boas-vindas.

O primeiro encontro com familiares foi realizado ainda na pista do aeroporto, uma vez que parte da família também participou da operação em voo fretado. O segundo encontro foi feito na saída do aeroporto, onde dentro de uma ambulância, Antônio Sena saudou os amigos.

Ao pousar no aeroporto de Santarém, 15h45, Antônio Sena foi levado de ambulância para um hospital particular para exames médicos Atendimento médico 

Após pousar no aeroporto de Santarém, por volta de 15h45, Antônio Sena foi levado de ambulância direto para um hospital particular do município onde passa por exames médicos. 

Leia também: 

Piloto de avião desaparecido há quase 40 dias é resgatado pelo Governo do Estado 

Por Leonardo Nunes (SECOM)