Projetos do TerPaz estimulam o empreendedorismo feminino na Grande Belém

Iniciativas como o "Ela Pode" e o "Empodera" garantem capacitação e financiamento para negócios dirigidos por mulheres

09/03/2021 09h23 - Atualizada em 09/03/2021 14h48

Pensando no bem-estar, na segurança e na capacitação de mulheres empreendedoras, foi criado dentro do programa Territórios Pala Paz (TerPaz), do Governo do Pará, o projeto “Ela Pode”, que têm como público-alvo mulheres a partir de 16 anos que morem nos bairros atendidos TerPaz ou nas proximidades, são eles: Benguí, Cabanagem, Guamá, Jurunas, Terra Firme em Belém; Icuí-Guajará, em Ananindeua; e Nova União, em Marituba.

Segundo a diretora-geral da Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac) e coordenadora das Redes Locais, Juliana Barroso, a diminuição da violência contra mulher, o engajamento na promoção da cidadania e o empoderamento das mulheres enquanto sujeitas da ação fazem parte dos objetivos buscados pelo Programa Territórios pela Paz. “Essa mulher passa pela capacitação ofertada pelo programa 'Ela Pode', e é orientada e acompanhada para que o empreendimento, de fato, tenha sustentabilidade e seja um diferencial em sua vida”, ressaltou Juliana.

O conteúdo da formação aborda o empreendedorismo feminino com estímulo à autonomia financeira e socioemocional das mulheres paraenses, levando em consideração suas realidades, percepções e trajetórias.

"Eu achei ótimo esse projeto, atualmente trabalho com vendas de joias e pude aprender várias técnicas de como melhorar as minhas vendas", afirmou uma das participantes do projeto, Eliane Dias.

Além de capacitar para o trabalho, o projeto também realiza os sonhos das participantes, como o da dona de casa Rosa Maria Farias, de 50 anos, moradora do bairro da Cabanagem em Belém. "Desde criança, eu tinha muita vontade de aprender a costurar, era um sonho e que agora, com essa idade, consegui realizar”, afirmou.

Nas formações, são trabalhadas as seguintes temáticas: assertividade, liderança, redes de relacionamento, finanças e ferramentas digitais. Elas também participam de dinâmicas que ajudam na construção de redes de relacionamento, formação de rede de apoio e troca de saberes, para se sentirem mais fortalecidas na busca de seus sonhos.

“O programa me ajudou muito, já participei de vários cursos ofertados pelo TerPaz. Antes da pandemia, eu tinha um pequeno comércio e, agora, tive que me reinventar e comecei a trabalhar com produtos manuais” afirmou Andrea Campelo, participante do projeto.

A capacitação é uma parceria fechada pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), juntamente com a Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp), para integrar as ações do TerPaz. A iniciativa é do Instituto Rede Mulher Empreendedora, maior Rede de Empreendedorismo Feminino do Brasil, com o apoio do Google, que visa capacitar 2 mil mulheres nos sete bairros que compõem o TerPaz.

Outro projeto que também incentiva o empreendedorismo das mulheres é “Empodera”, programa de crédito feminino do Banco do Estado do Pará (Banpará) que surgiu para ajudar microempreendedoras que possuem ou desejam abrir um negócio dentro dos Territórios acolhidos pelo TerPaz. A ação já beneficiou 270 mulheres em um investimento total que ultrapassa os R$ 500 mil. “O Empodera é uma concessão de crédito para financiamento de micro empreendimentos dirigidos por mulheres”, diz Juliana Barroso.

Como participar do programa de financiamento

O acesso à linha de crédito ocorre em meio às ações do TerPaz com a participação do Banpará, ou por indicação de alguém que já teve acesso ao benefício. Ter o nome inscrito em instituições ligadas à proteção do crédito, como o Serasa, por exemplo, não é impeditivo para a busca pelo benefício. No entanto, restrições bancárias impedem a participação no Empodera.

Por Elizabeth Teixeira (SEAC)