Pacientes do Hospital de Campanha recebem alta e comemoram Páscoa em casa

Recuperação anima os profissionais de saúde, que se superam e continuam a batalha contra o vírus

02/04/2021 11h54 - Atualizada em 02/04/2021 12h45
Por Bruna Brabo (SECOM)

Força e coragem são dois sentimentos que se misturam na vida de quem precisa lidar com o tratamento da Covid-19. Stephanie Souza Mourão, de 28 anos, mãe de dois filhos pequenos, recebeu alta após nove dias internada no Hospital de Campanha do Hangar, em Belém. 

"Eu me senti com uma nova oportunidade de viver, a gente vê que é uma situação muito surreal, é um pesadelo. Só o fato de estar em casa com a minha família, ainda mais nesse período da Páscoa, é uma benção. Eu procurei reagir pensando muito nos meus filhos, pois eles precisam muito de mim. Os profissionais se dedicam muito, fazem de tudo para que a pessoa seja bem atendida, eles dão animo e confiança para que a pessoa tenha vontade de reagir", agradeceu Stephanie, que segue em casa a fase final do tratamento.

A unidade de saúde localizada no Hangar integra a rede de hospitais do Governo do Pará para combate da doença. “É gratificante ao Estado saber que o nosso trabalho está tendo bons resultados e muitos pacientes poderão passar essa Páscoa ao lado dos seus familiares, em casa. Isso acontece graças à dedicação de muitos profissionais que trabalham incansavelmente neste momento”, reforçou o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho.

A vitória de cada paciente atendido no hospital ganha um sabor ainda mais especial, não só de dever cumprido, mas também de ânimo para continuar a batalha. “Nós registramos centenas de altas e isso alegra o nosso coração, pois é justamente esse o objetivo de todos: receber, tratar e curar essas pessoas. É um trabalho incansável, com desafios diários para todas as equipes, mas no fim do dia, essa é a recompensa”, diz a médica e diretora técnica da unidade, Bárbara Freire.

A unidade opera, atualmente, com 150 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 270 leitos de enfermaria. Neste momento, são atendidos 341 pacientes e a taxa de ocupação é 82%. No total, 5.124 pessoas já foram atendidas no local e tiveram alta.

Humanização - Ao deixarem o hospital, os pacientes passam pelo "Corredor da Vida", uma ação realizada pela equipe médica e colaboradores, que entregam aplausos e a plaquinha com a mensagem “Venci a Covid-19” para registro fotográfico, além do toque do "Sino da Vitória".

“Diversas ações de humanização são realizadas no Hospital de Campanha do Hangar. Instalamos o Sino da Vitória, para que todos os pacientes que saem de alta toquem e façam barulho. Todos já entendem que quando a badalada soa é motivo de felicidade. Além disso, temos as videochamadas, que aproximam familiares e pacientes em ligações por vídeo. Isso ameniza a dor da distância e faz muito bem para o tratamento. Não posso deixar de citar o Projeto Meu Aniversário, que comemora o dia dos pacientes que estão internados. Colocamos balões de material descartável, plaquinhas com mensagem de feliz aniversário. Isso tudo faz parte de um processo humanizado, interligado entre uma equipe multiprofissional engajada, sempre, na recuperação de todos”, comenta a diretora técnica da unidade.

Usina de Oxigênio - O governo do Estado iniciou a montagem técnica da usina de oxigênio para abastecer o Hospital de Campanha do Hangar. A usina tem capacidade para produção de 2.400 metros cúbicos de oxigênio, por dia, o equivalente ao abastecimento diário de 240 cilindros do gás.

“A usina de oxigênio chega para dar um suporte a mais neste período desafiador. O nosso quadro nunca foi de falta de oxigênio, como verificado em outros estados, mas, sobretudo, é fundamental adotar essa postura preventiva, dado o aumento no número de pacientes com a doença”, afirma Bárbara Freire.