Instituições somam forças para incentivar a doação de sangue

Estoques diminuíram desde o início da pandemia do novo coronavírus

07/04/2021 17h16
Por Governo do Pará (SECOM)

A resiliência e a empatia com o próximo motivaram, nesta quarta-feira (7), os servidores do Hospital Ophir Loyola (HOL) a participarem do projeto Caravana Solidária, em prol da doação de sangue, em parceria com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (Hemopa).

O hospital tem uma das maiores demandas em relação à transfusão de sangue, realizando, em média, 900 procedimentos por mês. Porém, a pandemia ocasionada pelo novo coronavírus modificou rotinas e diminuiu a reposição do estoque de sangue. Hoje, são realizadas entre 400 a 600 por mês.

A enfermeira e coordenadora da Agência Transfusional do hospital, Leonice Carvalho, explica que sem pandemia o estoque ainda sofre dificuldades, agora com a Covid-19 o cenário pede mais atenção. “Motivar os servidores para a doação de sangue é imprescindível para ajudar a atender a demanda, principalmente, pelo perfil do hospital, pois os nossos pacientes são os que mais fazem transfusão, tanto de hemácias como de plaquetas”, afirma.

A caravana busca incentivar a solidariedade e salvar vidas. A técnica de enfermagem do HOL, Nelma Silva, já é doadora desde 2005, no entanto, é a segunda vez que participa da caravana. “Quando a gente começa a entender o quanto as pessoas têm essa necessidade, tanto em tratamentos como em cirurgias, abraçamos a causa, pois o sangue representa a vida. Por isso, incentivo e faço com muito amor, já que através dessa ação podemos ajudar a quem tanto precisa”, assegura.

“Doar sangue é doar vida. É muito importante a Secretaria estar de mãos dadas com a Fundação Hemopa para incentivar a doação, porque o sangue coletado vai salvar vidas. A pandemia acabou diminuindo essas doações, mas precisamos trazer esse doador de volta”, destacou o secretário de saúde Romulo Rodovalho.

Em geral, a transfusão sanguínea é indicada para promover aumento de volume do sangue no organismo, assim como para aumentar as hemácias que transportam oxigênio, corrigir distúrbios de coagulação e/ou melhorar a imunidade. Segundo o hematologista, Thiago Carneiro, os medicamentos que os pacientes oncológicos utilizam destroem componentes sanguíneos e provocam anemia. Por isso os enfermos precisam de sangue regularmente.

“As hemácias são um tipo de glóbulo vermelho presente no sangue, contendo hemoglobina na sua formação. Além de ser responsável pela coloração dessas células, a hemoglobina distribui oxigênio para todo o corpo. Então, se o nível de glóbulos vermelhos estiver abaixo do limite, é possível que nem todos os órgãos recebam oxigênio suficiente e, consequentemente, não consigam realizar suas funções de forma adequada. Quando esse quadro acontece, considera-se que o paciente está com anemia”, explica.  

A paciente Francidalva Guimarães, 37 anos, faz tratamento contra a leucemia e está internada há dois meses no Ophir Loyola. Para ela, a doação de sangue irá salvar sua vida e as dos demais enfermos que precisam. “As pessoas não podem ter medo de doar, nós estamos aqui precisando de ajuda, os doadores podem nos presentear com a esperança de dias melhores e salvar nossas vidas”, afirma.

Serviço: As doações de sangue podem ser realizadas diretamente no Hemopa, de segunda a sábado, no horário das 7h30 às 17h. Para doar sangue é preciso que o indivíduo tenha entre 16 a 69 anos, pesar mais 50kg, documento de identificação em mãos e estar com a saúde em dia.

Quem teve Covid-19 também pode voltar a doar sangue, só precisa esperar 30 dias após a cura. Quem teve contato com pessoas que tiveram a doença deve esperar 14 dias após o último contato.

Para quem recebeu a vacina Coronavac/Butantã, são 48h de inaptidão para doação de sangue, após cada dose. Já a vacina AstraZeneca/Fiocruz, são sete dias após cada dose. Se o candidato à doação de sangue não souber qual imunização fez, só poderá voltar a doar sangue após sete dias.

Para o secretário de Saúde do Pará, Romulo Rodovalho, o Governo do Pará, por meio da Sespa, reforça a importância de um atendimento humanizado em todos os Hospitais do Estado.

“Hoje é um dia muito especial para o Hemopa. Doar sangue é doar vida. É muito importante a Secretaria estar de mãos dadas nessa parceria com a Fundação Hemopa para incentivar a doação, porque o sangue coletado vai salvar vidas. A nossa presença, como gestor, é fundamental”, destacou o secretário de saúde.

Texto: Viviane Nogueira- Ascom HOL