Setor do Comércio registra bom desempenho na geração de empregos entre março de 2020 e de 2021

Observatório do Trabalho do Pará, Dieese e Secretaria de Assistência Social, Emprego e Renda apontam quase 15 mil postos de trabalho gerados no período

24/05/2021 16h08 - Atualizada em 24/05/2021 17h00

Família vai às compras em loja de acessórios, movimento de consumidores no comércio impulsionou bom desempenho do setorMesmo em um período marcado pela crise econômica relacionada à pandemia do novo coronavírus, o desempenho do Estado em relação ao mercado de trabalho no setor do comércio vem apresentando uma trajetória positiva, especialmente nos últimos 12 meses. 

De acordo com o Observatório do Trabalho do Estado do Pará, parceria entre o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), foram quase 15 mil postos de trabalho gerados nesse período, quantitativo que ganhou destaque na Região Norte. 

No comparativo entre o mês de março do ano passado e março deste ano, mais um resultado positivo: 873 postos. No primeiro trimestre de 2021, no setor Comércio, a grande maioria dos estados da Região Norte apresentaram crescimento de empregos formais, entre admitidos e desligados, novamente com destaque para o Pará pela geração de 4.919 postos de trabalhos. 

O titular da Seaster, Inocencio Gasparim, confirma o desempenho positivo do Pará em relação à geração de emprego no setor do Comércio, bem como enaltece as ações do governo estadual que contribuíram para o cenário. 

"O plano do Governo do Pará une cuidados à saúde, proteção da população, investimentos e impulsos da economia. A partir do momento que você investe em atividades econômicas, automaticamente você impulsiona o setor de serviço e o de comércio, e o governo tem proporcionado essa injeção de recursos através do pacote econômico e emergencial", detalha o secretário. 

Foram destinados R$ 500 milhões para programas de transferência de renda, em especial àqueles segmentos mais afetados pela pandemia. "Essa ação mantém as atividades básicas, o consumo de alimentos, a compra de insumos, o que faz com que a economia gire e a demanda por mão de obra aumente. Nos últimos 12 meses, o Pará gerou mais de 41 mil postos de trabalhos formais, está como o 6º estado em geração de empregos, esses resultados devem ser vistos como frutos do trabalho responsável e positivo alcançados por essa gestão", comemora Gasparim.

Por Carol Menezes (SECOM)