Estratégias e investimentos na segurança mantêm índices de criminalidade estáveis no Pará

Foco em ações de inteligência e integração das forças de segurança pública refletem contenção nos casos de crimes que vão de homicídios a furtos.

09/06/2021 18h59 - Atualizada em 10/06/2021 00h58

O efetivo que atua na área fluvial também vem contribuindo para a queda nos índices de crimesNos últimos dois anos de gestão da Segurança Pública, o Pará conseguiu atingir o índice de 30% em redução da criminalidade, sendo reconhecido por estudos nacionais como a federação que mais diminuiu a incidência de crimes em todo o país no ano de 2020. Em 2021 o quadro de redução mantém a estabilidade nos índices apresentando, ainda assim, redução nos cinco primeiros meses do ano.

De acordo com dados levantados pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado (Segup), por meio da Secretaria Adjunta de Inteligência e Analise Criminal (Siac), de janeiro a maio de 2021 houve uma redução de 27% nos Crimes Violentos Letais Intencionais, que engloba os crimes de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, quando comparados com o mesmo período de 2019. Já em comparação ao ano de 2020, o cenário se mantém em estabilidade, apresentando ainda, redução de 1% nos casos. Maio aparece também como o mês de maior redução na linha histórica de Crimes Violentos Letais Intencionais. A comparação é feita entre o mês de maio de 2021 e todos os meses de maio, desde 2010. 

Uma das metas do Estado é reforçar o número de agentes nas ruas e delegaciasOs dados consolidados também apontam redução nos crimes de furto em todo o Estado. De janeiro a maio de 2021, quando comparados com o ano de 2020, o Estado alcançou queda de 14% nos índices. 

De acordo com o secretário de Segurança do Estado, a estabilidade nos números reflete as estratégias previstas pela segurança pública, com base na acentuada queda dos índices nos dois primeiros anos de gestão.

“Após dois anos de forte queda nos índices da criminalidade, chegamos a atingir 30% de redução no ano de 2019 e 20% no ano de 2020, quando comparado com o ano de 2019, que já foi um ano de redução significativa. Com isso, nós obtivemos dois anos seguidos de forte redução, inclusive reconhecidos por estudos nacionais de criminalidade, onde o Pará foi destacado como o Estado que mais reduziu a criminalidade em 2020. Diante desse quadro, é natural que em 2021 essa queda seja menos acentuada, visto que já viemos de dois anos consecutivos de diminuição acentuada nesses índices. Mesmo assim, conseguimos fechar os 5 meses de 2021 com uma leve redução na criminalidade. Isso tudo demonstra que as estratégias utilizadas para combater o crime no Estado estão sendo realmente eficazes, o que nos mantém, pelo terceiro ano consecutivo, com uma redução nos números, e como consequência, o controle da criminalidade”, destacou Ualame Machado.

As estratégias de segurança desenvolvidas pelo estado, com maior investimento nas ações de segurança pública, inteligência e integração das forças refletem o controle da criminalidade e os bons índices alcançados desde os primeiros anos da atual gestão.Combate a crimes ambientais e fundiários

Segundo o titular da pasta, a integração entre as forças e o foco mais direcionado nas ações de combate a criminalidade são estratégias fundamentais para manter e coibir a criminalidade no Estado. “Nós utilizamos a estratégia de integrar as forças e focar os esforços onde realmente a criminalidade se apresenta de forma mais organizada, para que assim possamos combater as organizações criminosas de maneira mais qualificada. Essa tem sido a estratégia adotada para alcançar o equilíbrio nos índices e manter o nosso Estado em uma posição favorável”, pontuou o secretário. 

Ações e estratégias

Ações como o ‘Polícia Mais Forte’, que identifica pontos e horários que poderiam ser vistos como vulneráveis, e a instalação de Pontos Estratégicos Base, em horários e locais previamente identificados, são algumas das estratégias utilizadas para coibir a criminalidade. As investigações mais qualificadas e agilidade nas perícias também têm sido um dos pontos principais para elucidar de forma ágil, crimes cometidos e que antes ficavam sem solução.

Efetivo
O aumento de efetivo por meio dos concursos públicos em andamento, tanto da Polícia Civil quanto Militar, também são ações desenvolvidas pela segurança pública, por meio do Governo do Estado, para fortalecer e reforçar o número de agentes nas ruas e nas delegacias, com o objetivo de alcançar maiores e melhores resultados no enfrentamento à criminalidade.

“Nosso desafio é de sempre melhorar, tendo a responsabilidade de superar nossos próprios resultados, que já são muito bons. Com aumento do efetivo previsto para os próximos meses, após a finalização dos concursos das Polícias Civil e Militar, tendo já autorizado os concursos para o Corpo de Bombeiros e Sistema Penal, vamos conseguir aumentar e fortalecer ainda mais nossas forças e com isso manter o Pará em uma posição favorável garantindo a paz social que todos os paraenses merecem”, concluiu o secretário.

Por Walena Lopes (SEGUP)