Operação Euterpe continua no Baixo Tocantins com prisões e apreensões de armas

Na área ribeirinha de Igarapé-Miri,os agentes também recuperaram uma lancha roubada e motores de barcos

16/06/2021 19h13 - Atualizada em 17/06/2021 01h20

A força-tarefa da segurança pública conta com o apoio de lanchas potentes e equipadasDurante a Operação “Euterpe”, na madrugada desta quarta-feira (16), quatro pessoas foram presas e um menor apreendido em uma residência situada à margem do Rio Juarimbu, zona ribeirinha do município de Igarapé-Miri, no Baixo Tocantins. Além das prisões, os agentes de segurança apreenderam armas de fogo e munições, e recuperaram uma embarcação e motores de barcos roubados.

A Operação foi deflagrada na última quinta-feira (10), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), com a coordenação do Grupamento Fluvial (GFlu), e tem como objetivo coibir prática criminosa nos rios e furos de municípios do Baixo Tocantins.Os adultos presos e o menor apreendido em mais uma fase da Operação Euterpe

Com os adultos foram encontradas quatro armas de fogo calibre 28, 20 e 12, e um simulacro de arma, além de cartuchos, recipientes com chumbo, pólvora e espoleta. Dois motores do tipo rabeta também estavam em posse dos criminosos.

Ainda com os acusados estava uma embarcação com motor 90 HP, roubada no último dia 2 no município de Muaná, no Arquipélago do Marajó. O menor foi conduzido à Delegacia para ser ouvidoA embarcação recuperada pela polícia na zona ribeirinha

Continuação - A Operação, que deve se estender até 25 de junho, mobiliza 35 agentes das polícias Civil e Militar, Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), Delegacia de Polícia Fluvial, Diretoria de Polícia do Interior (DPI) e Companhia de Polícia Independente Fluvial (Cipflu).

Para o patrulhamento fluvial, que exige abordagens às embarcações de passageiros e de carga, estão sendo empregadas seis embarcações, sendo cinco lanchas, entre elas a “Aruanã 29”, que possui equipamentos para incursões à noite e blindagem, e o barco “André Luiz”, que será utilizado como apoio durante toda a operação.

Para o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, a segurança nos rios tem sido uma das prioridades do governo, que vem priorizando os investimentos na área.

“Dentro do nosso planejamento, visando garantir maior segurança fluvial, fizemos aquisição de 58 embarcações novas ou remotorizadas, sete já entregues, e outras em processo de adaptação. Temos duas lanchas blindadas entre as sete, as primeiras da história do Estado. Está em construção também a base integrada flutuante Antônio Lemos, no município de Breves, na região do Marajó, além dos investimentos na integração das forças de segurança de fiscalização que irão atuar nos rios", destacou Ualame Machado.Armas apreendidas pelos agentes de segurança na operação

Eficiência - Além das prisões e apreensões ocorridas nesta quarta-feira, a Operação “Euterpe” já obteve resultados positivos em outras ações anteriores. Na sexta-feira (11), equipes compostas por agentes do GFlu, da Delegacia Fluvial e da Delegacia de Polícia do Interior, e policiais militares do Grupo Tático Operacional do CPR-IX, apreenderam um casco de lancha à deriva no Rio Anapuzinho, também em Igarapé-Miri.

A embarcação estava com o cadeado arrebentado na proa e sem motor. A embarcação foi encaminhada ao barco/base André Luiz, para as providências cabíveis. Já na terça-feira (15), as equipes prenderam três homens por posse ilegal de armas de fogo e munições. A prisão ocorreu no Rio Paramajó, no município de Abaetetuba, na residência de um dos envolvidos.

Na residência foram encontradas uma arma utilizada em tentativa de homicídio, além de duas armas, munições e uma motosserra sem licença ambiental.

Denúncias - A população pode contribuir com a operação integrada repassando informações que auxiliem o trabalho policial. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, do Disque-Denúncia da Segup, ou para (91) 98115-9181, WhatsApp da IARA (Inteligência Artificial Rápida e Anônima), por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

A denúncia pode ser feita ainda pelo 190, acionando o Centro Integrado de Operações (CIOp) em casos que necessitem de urgência. (Texto: André Macedo - Ascom/Segup).

Por Governo do Pará (SECOM)