Governador participa de inauguração de museu da Assembleia de Deus

Espaço reúne elementos que contam a história da denominação protestante fundada há 110 anos.

19/06/2021 15h39 - Atualizada em 19/06/2021 22h19

O governador Helder Barbalho participou na manhã  deste sábado (19) da inauguração do Museu Nacional da Assembleia de Deus, em Belém, como parte da programação que celebra os 110 anos da igreja. O prédio cedido pelo Estado está localizado na avenida Magalhães Barata. Na cerimônia de abertura do espaço, o chefe do Executivo destacou a importância do museu para o turismo na cidade. 

“Entendo que Belém ganha um equipamento muito importante para a cidade e Belém se reafirma como cidade central não apenas para os assembleianos, mas para fortalecer o turismo religioso. Tenho certeza que muitos virão para visitar este espaço, conhecer mais da historia da Assembleia de Deus e o turismo é um dos caminhos estratégicos para geração de emprego e renda. Estou profundamente feliz de estar aqui neste momento”, afirma o governador.

O espaço, que reúne elementos que compõem um acervo histórico e contam a história da denominação protestante, foi cedido pelo Estado a pedido do pastor presidente da igreja, Samuel Câmara. “É uma felicidade no momento em que a igreja faz 110 anos, podemos estar cumprindo esta etapa de valorização e preservação da história desta igreja. Portanto, esse museu congraça tudo isso. Parabéns a todos e fico agradecido a Deus por estar aqui e poder ter colaborado com esse sonho que passa ser realidade a partir de hoje”, enfatiza Helder.

Citando o versículo 1º de Salmos 133, em que diz: “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”, Helder Barbalho aposta na união para um mundo melhor. “Que essa palavra possa estar entre nós. O Brasil está precisando de união. União entre as religiões, famílias e pessoas. Que Deus possa permitir ao nosso país menos conflito, mais amor, mais paz e união entre nós”, concluiu.

A Assembleia de Deus foi fundada em 18 de junho de 1911 pelos missionários suecos Gunnar Vingren e Daniel Berg e se tornou a maior igreja pentecostal do mundo. Além da propagação do evangelho, a denominação atua com diversas ações sociais, entre elas junto às comunidades ribeirinhas levando o ensino e alimentos. A programação dos 110 anos começou no dia 6 deste mês e, por conta da pandemia, teve o número de fieis reduzido.

Por Michelle Daniel (NGTM)