Igeprev adota a Língua Brasileira de Sinais para atender ao público com deficiência auditiva

Quatro tradutores foram treinados e já estão trabalhando no prédio sede, mas a novidade em breve estará disponível também nas estações cidadania

28/06/2021 16h51 - Atualizada em 28/06/2021 17h14

O uso de Libras no atendimento ao público do Igeprev é uma forma de garantir inclusão e respeito aos que têm deficiência auditivaA central de atendimento do Instituto de Gestão Previdenciária do Pará (Igeprev) adotou o uso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para facilitar a comunicação com os segurados que têm deficiência auditiva. Após treinamento, quatro intérpretes de Libras se familiarizaram com a rotina do setor que atua diretamente com o público e já estão trabalhando.

"Eles estão afinados com a forma de atendimento no Igeprev, sobre quais as informações e as orientações que devem fornecer", disse  Arlinda Maria Pinto, coordenadora de atendimento. Segundo ela, a partir de julho, além da sede do instituto em Belém, as estações cidadania dos shoppings Grão Pará, Metrópole e Pátio Belém e a do terminal hidroviário também contarão com a novidade.

A  proposta é dar mais qualidade ao atendimento, declarou  o presidente do Igeprev, Giussepp Mendes, sobre a  importância da  implantação desse novo formato de  prestação de serviços. "A iniciativa humaniza o trâmite para concessão de benefícios previdenciários e diminui as dificuldades  que esse público enfrenta na busca de direitos".

Jéssica Cruz (à esquerda) é uma das intérpretes de Libras que integra o atendimento ao público no Igeprev: "muito gratificante" Jéssica Cruz faz parte do time de intérpretes. "É uma luta muito grande que a comunidade surda vem enfrentando pra conquistar o direito de ter atendimento em Libras. Poder estar participando e colaborando com esse crescimento é muito gratificante".

Reconhecida no Brasil desde 2002, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) possibilita às pessoas surdas independência na comunicação. "Agora o surdo pode chegar ao instituto e ser atendido em sua língua, sem precisar de adaptações, escrever no papel", disse o intérprete Alexandre Santos. 

ACESSIBILIDADE

O Igreprev também preparou suas instalações para garantir maior comodidade aos segurados e dependentes que apresentam alguma deficiência. O prédio sede recebeu piso tátil, banheiros adaptados e as unidades móveis ganharam rampas de acessibilidade. Com essas ações, o órgão promove a inclusão social de servidores ativos e inativos.

Por Cácia Medeiros (IGEPREV)