Prova da chamada 2020 do programa Forma Pará, ocorre no próximo domingo (4)

Mais de 5.800 candidatos concorrem a 1095 vagas distribuídas em 22 municípios.

30/06/2021 11h20

No próximo domingo (4), os estudantes que concorrem a uma vaga do Programa Forma Pará, chamada 2020, realizam a prova do processo seletivo especial. Mais de 5.800 candidatos concorrem a 1095 vagas distribuídas em 22 municípios. O horário de realização das provas é de 8h às 12h. O Forma Pará é o programa do governo do estado, executado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), que visa reduzir o déficit paraense de acesso à formação superior.

O programa possibilita a união com Instituições de Ensino Superior (IES) Públicas, prefeituras e associações municipais, no intuito de expandir a oferta de vagas de nível superior (bacharelado, licenciatura e tecnológico), nos municípios onde não há campi de tais instituições ou onde não exista a oferta de determinado curso, porém haja demanda para tal, devido à vocação econômica da região. 

Para a realização dos processos seletivos especiais, o programa conta com a parceria da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa (Fadesp). A chamada 2020 foi lançada em agosto daquele ano e a prova para seleção dos candidatos, que ocorreria no dia 13 de dezembro, foi adiada por duas vezes, devido ao cenário pandêmico daquele momento. 

A prova do próximo domingo será composta de 35 questões de múltipla escolha, com quatro alternativas cada, para que o candidato escolha apenas uma delas. Serão cinco questões de cada uma das seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Física, Química e Biologia. Cada questão correta da prova objetiva, valerá um ponto, totalizando 35 pontos. 

A nota da prova dos candidatos não eliminados, nos termos do edital, será acrescida de 10% para aqueles que tenham cursado, pelo menos, um dos anos ou estejam cursando o último ano do ensino médio, no município/distrito em que o curso está sendo ofertado, conforme indicação feita no ato da inscrição, que deverá ser comprovada no ato da habilitação ao vínculo institucional.

Nesta chamada, o programa conta com a parceria da Universidade do Estado do Pará (Uepa), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e do Instituto Federal do Pará (IFPA).

Os municípios e distritos contemplados pela chamada 2020, do Forma Pará, são: Abel Figueiredo, Bagre, Belém (Icoaraci e Mosqueiro), Bom Jesus do Tocantins, Cachoeira do Piriá, Curuçá, Dom Eliseu, Goianésia, Itupiranga, Jacundá, Marituba, Mocajuba, Muaná, Novo Progresso, Novo Repartimento, Ourém, Ourilândia do Norte, Piçarra, Rurópolis, Salinópolis, Tailândia e Ulianópolis.

Concorrência- Com 19,52 candidatos por vaga, o curso de Gastronomia, ofertado pela Uepa em Icoaraci, distrito de Belém, é o mais concorrido entre os oferecidos nesta etapa. O segundo com maior demanda, é Psicologia, ofertado pela Unifesspa, em Jacundá, município da região sudeste paraense, são 14,46 candidatos por vaga.

A demanda completa por cursos, assim como os cartões de inscrição para impressão, podem ser encontrados no site da Fadesp.  Após a prova, os candidatos têm dois dias para entrar com recurso. O resultado final será divulgado no dia 6 de agosto. 

Chamada 2021 - A chamada 2021 do Forma Pará, foi lançada na última terça-feira (29). Nesta etapa, o programa amplia o número de vagas ofertadas. Serão quase 2.000, totalizando 37 turmas em 34 municípios paraenses. Desta vez, o programa também conta com a parceria de todas as IES públicas presentes no estado (Uepa, Unifesspa, IFPA, Ufra, UFPA e Ufopa). As provas para o preenchimento destas vagas, devem ocorrer até novembro deste ano.

O Forma Pará já está presente em 10 das 12 regiões de integração do estado. Para os moradores dessas regiões, o programa representa uma porta de acesso à qualificação profissional. Os cursos se configuram como oportunidades únicas, que devem ser aproveitadas ao máximo pelos estudantes, que assim, têm a chance de transformar suas vidas para melhor.  

Por Fernanda Graim (SECTET)