Mais de 70% dos atendimentos a crianças na Poli Metropolitana foram pelo programa "Triagem Pós-Covid"

Iniciativa é voltada para pacientes com até 13 anos que apresentam sequelas após a infecção pela Covid-19

27/07/2021 13h00 - Atualizada em 27/07/2021 19h21

Nos meses de maio, junho e do dia 01 até 21 de julho deste ano, a Policlínica Metropolitana, em Belém, atendeu 716 crianças, sendo que, deste total, 525 atendimentos, foram destinados ao Programa ‘Triagem Pós-Covid’, lançado desde novembro do ano passado. Os números revelam que 73% dos serviços para pacientes com até 13 anos de idade oferecidos na Poli, são para o tratamento de sequelas deixadas pelo novo coronavírus. Com a capacidade de até 600 atendimentos de crianças por mês, a unidade é referência da Rede de Saúde Estadual nos tratamentos pediátricos de média e alta complexidade.

No Dia do Pediatra, comemorado nesta terça-feira (27), os especialistas orientam a população paraense a respeito dos serviços oferecidos pela unidade. Referenciada nos Programas ‘Pós Covid’ e no ‘Pré-Operatório Rápido Infantil’, a Poli atende crianças em regime de consultas ambulatoriais que passam por especialidades médicas e não médicas, além de exames laboratoriais e de imagem.

O secretário Estadual de Saúde, Rômulo Rodovalho, explica que este trabalho é estratégico para dar fluidez às demandas da rede. “A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) vem ampliando os serviços da Policlínica, por ser uma unidade coringa na Rede. Além de receber pacientes de todo o Estado, o local concentra mais de 20 especialidades de saúde e uma gama de exames que são feitos em um único lugar. Na pediatria, esse serviço traz segurança e comodidade aos pais e/ou responsáveis, por não ter de ficar transitando com o seu filho em vários lugares”, destaca o titular da pasta.   

Programas

Embora as crianças tenham menos sintomas do que os adultos e fique mais difícil identificar quais delas adquiriram a Covid-19, os pequenos também são muito afetados pela pandemia. A coordenadora do serviço de pediatria da Policlínica Metropolitana do Pará, Rafaela Dias Neves, explica que as sequelas psicológicas ou físicas em menores de até 13 anos, são tratadas no Programa Pós-Covid com bastante frequência, o que é o caso de Carol Lima, de 10 anos.

“Procuramos a unidade após ela ter muitas dores no peito e dificuldades para correr como uma criança normal. Tudo que ela faz, fica cansada”, conta a dona de casa Rosana Lima. A menina apresentou poucos sintomas da Covid -19, após seus pais terem sido detectados com a doença. “Teve uma febre e dor de cabeça. Tudo muito rápido. Em questão de dois dias estava bem, e em casa estávamos todos com o coronavírus”, relembra a mãe da paciente.

O serviço oferece consultas multiprofissionais nas áreas de pediatria, nutrição, fonoaudiologia, psicologia, além de exames especializados. Dependendo do diagnóstico, a criança é encaminhada para atendimento na rede pública como os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e o Centro Integrado de Inclusão e Reabilitação (CIIR). 

Pré-operatório

Outra referência no atendimento pediátrico da Poli, é o Programa ‘Pré-Operatório Rápido Infantil’. “As crianças que aguardavam muitas vezes mais de um ano para realizar exames pré-operatórios, agora, conseguem realizar os exames de laboratório e imagem incluindo Raio-X do tórax, o eletrocardiograma tudo no mesmo dia. Além disso, elas são avaliadas pela equipe de pediatria e seguem em consulta pré-anestésica”, frisou a médica Rafaela Dias.

A especialista ainda destaca que a Poli oferece atendimentos “pediátricos multidisciplinar com psicólogo, nutricionista e fonoaudiologia para o acompanhamento de patologias relacionadas ao atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e sobrepeso ou obesidade infantil, além de distúrbios alimentares como desnutrição ou anemias carências”, destacou. O objetivo é garantir atendimentos preventivos de saúde, o desenvolvimento e o aprendizado adequado às crianças paraenses.

Geral

Nos atendimentos da pediatria geral, as principais patologias tratadas na Policlínica são: autismo, hiperatividade, atrasos de fala e os Transtornos de Ansiedade. “Atendemos ainda, a puericultura que é a consulta regular do menor em relação ao crescimento e desenvolvimento e a parasitoses intestinais e dermatoses da infância, como escabioses e doenças causadas por fungos na pele”, reforçou Rafaela Dias.

A Poli também oferece os serviços do laboratório de análises clínicas, radiografias, ultrassonografia geral, tomografia geral e com contraste, o teste do olhinho e a audiometria (BERA ou PEATE - potencial evocado auditivo do tronco cerebral).  

Atendimentos

 "A Policlínica é uma unidade especializada em média complexidade, cujo principal objetivo é dinamizar o atendimento da população e, também, atuar resolutivamente na finalização diagnóstica. É importante ressaltar que a unidade oferece uma equipe multidisciplinar que tem como foco atender o indivíduo de forma ampla lhe garantindo segurança e pautados nos princípios da Política de Humanização", destaca a diretora executiva da Poli Metropolitana, Liliam Gomes. 

Rafael Gomes, de 8 anos, está sendo acompanhado na unidade para o tratamento nos pulmões. “Ele teve uma gripe muito forte no ano passado. Pensamos que fosse Covid, mas não era. Desde então, ele tem dor no peito devido à asma e à pneumonia que teve em em abril deste ano. Fomos encaminhados à Poli, e nos surpreendemos com o atendimento. Aqui além do médico, vai fazer os exames”, disse Rosana Gomes, mãe do paciente.

Acesso

Para ter acesso aos atendimentos dos Programas Pós-Covid e Pré-Operatório Rápido não é necessário encaminhamento e nem comparecimento presencial na Policlínica. Os interessados nos dois programas podem entrar em contato com Central de Atendimento no WhatsApp (91) 98521-5110 e ainda no e-mail agendamento.polimetropolitana@issaa.org.br.

Já garantindo a observância do Sistema Único de Saúde (SUS), os atendimentos das especialidades clínicas e dos exames, devem ser totalmente regulados. Desta forma, o paciente deverá ir à Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu bairro e sendo necessário atendimento especializado, sob solicitação médica, será encaminhado à Policlínica, através do Sistema de Regulação do Estado (SISREG).

Serviço: O usuário da Poli Metropolitana precisa apresentar o documento de identidade com foto (RG preferencialmente), CPF, Cartão Nacional SUS e comprovante de residência. Caso a criança ainda não tenha RG, é possível apresentar a certidão de nascimento e os documentos oficiais da mãe.

Texto: Roberta Paraense/ Ascom Policlínica Metropolitana

Por Luana Laboissiere (SECOM)