Novos servidores da Adepará aprendem técnicas de defesa sanitária animal

Aprovados no último processo seletivo, os 23 veterinários e técnicos agrícolas fazem a capacitação em Marabá

15/09/2021 22h41 - Atualizada em 16/09/2021 01h59

A capacitação dos médicos veterinários e técnicos agrícolas do Serviço Veterinário Estadual (SVE) é um dos requisitos para manter o Pará livre de doenças infectocontagiosas e, assim, proporcionar ao produtor rural um serviço de qualidade. Nesta quarta-feira (15), servidores de 12 municípios paraenses foram capacitados na regional de Marabá, no Sudeste do Pará, em uma iniciativa da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará).

A capacitação inclui todos os setores da área técnica em defesa sanitária animal, e está sendo ministrada pelos gerentes de cada setor para 12 fiscais estaduais agropecuários (médicos veterinários) e 11 agentes fiscais agropecuários (técnicos agrícolas), selecionados no 6° Processo Seletivo Simplificado (PSS) do Estado.

Nesta quarta-feira, os novos agentes aprenderam mais sobre os seguintes assuntos: Brucelose e Tuberculose; Anemia infecciosa equina e Mormo; Síndrome hemorrágica de suínos; Síndrome neurológica; Síndrome respiratória e nervosa das aves e Síndrome vesicular. Servidores de 12 municípios paraenses participam da capacitação em Marabá

Aquicultura com sanidade - Os destaques foram o Programa Estadual dos Organismos Aquáticos, instituído pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Programa Nacional dos Animais Aquáticos de Cultivo (aquicultura com sanidade), que tratam sobre como prevenir, controlar e erradicar as enfermidades dos animais aquáticos (peixes, crustáceos, anfíbios e moluscos), por meio de monitoramento e fiscalização sanitária animal, assegurando a oferta de produtos com qualidade para população e a saúde pública.

A capacitação é importante para que os novos servidores estejam aptos a atuar em situações como a atual “Síndrome de Haff”, mais conhecida como "doença da urina preta". A Adepará já montou equipes de fiscalização especializada para atuar em conjunto com as vigilâncias sanitárias municipais, Polícia Militar e outras instituições de fiscalização, para cumprir os decretos municipais de trânsito de pescado com origem no Estado do Amazonas, onde foram diagnosticados casos da doença, com suspeita de contaminação pelo pescado.

Essa é uma das necessidades de qualificar os profissionais da Agência com conhecimentos e procedimentos sobre as principais doenças de importância econômico-sanitária e de notificação obrigatória, orientação sobre as ações e diretrizes dos diversos programas sanitários e setores técnicos da defesa animal estabelecidos pelo Mapa.

Padronização - “O treinamento é importante para a manutenção do bom desempenho das atividades do Programa Estadual de Sanidade Avícola e dos Organismos Aquáticos. Nesse sentido, os novos servidores têm a oportunidade de adquirir conhecimento técnico para desempenhar suas ações de campo. Este treinamento viabiliza o desempenho das atividades de forma padronizada. Também vejo como uma forma de incentivo para essa nova equipe de servidores. Assim, o treinamento é uma oportunidade de expor as diretrizes e normas do Mapa às quais seguimos”, informou a gerente do Programa Estadual de Sanidade Avícola e dos Organismos Aquáticos, Lettiere Lima.

A ação, coordenada pela Gerência de Defesa Animal e Gerência de Educação Sanitária, está sendo realizada no Laboratório de Informática da Faculdade Pitágoras - Campus Marabá. A capacitação contempla médicos veterinários de 12 municípios: Almeirim, Anapu, Aurora do Pará, Bom Jesus do Tocantins, Chaves, Conceição do Araguaia, Ipixuna do Pará, Goianésia do Pará, Monte Alegre, Piçarra, Tailândia e Tomé-Açu.

Para a médica veterinária Edilamar de Barros, lotada no município de Anapu (no Oeste do Pará), a capacitação é importante por abordar procedimentos não ensinados na graduação. “Aqui estamos aprendendo sobre os sistemas utilizados pela Adepará, que são plataformas altamente modernas, que dão eficiência ao controle da sanidade em nosso Estado e, portanto, fundamentais para nós, que atuaremos diretamente na ponta deste segmento, que é o agronegócio, tão importante para a nossa economia”, disse a nova fiscal estadual agropecuária da Agência.

Por Manuela Viana (ADEPARÁ)