Secom leva oficinas de comunicação para Territórios pela Paz

A proposta de democratização do acesso à comunicação alcança municípios do TerPaz na Região Metropolitana de Belém e se expande para as cidades do interior

24/09/2021 13h19 - Atualizada em 24/09/2021 15h08

Adolescente aprecia foto feita nas oficinas da Secom sobre o dia a dia dos bairros assistidos pelo Program Ter Paz A Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) confirma a realização de mais três oficinas dentro do Programa Territórios pela Paz (TerPaz). Marituba recebe inscrições para a Oficina de Fotojornalismo que ocorrerá entre os dias 28/09 e 01/10 na Escola Dom Calábria, Rua São Lázaro (Rua Sexta), S/N, entre Rua da Cerâmica e Rua Bom Sossego.

Em seguida, será a vez de Abaetetuba com as Oficinas de Rádio e Fotografia para Celular, entre os dias 05 a 08 de outubro, na Faculdade de Educação e Tecnologia da Amazônia (FAM). Em novembro estão confirmadas para Ipixuna do Pará as oficinas Produção Cultural e Publicidade e Propaganda, entre os dias 9 a 12 de novembro. As inscrições podem ser feitas presencialmente no Instituto Flor de Lótus/ Rua Luiz Batista Nonato, 290.

Para tornar os moradores protagonistas, ao ecoar suas vozes e reverberar seus olhares, a Diretoria de Comunicação Popular e Comunitária (DCPC), recebe as demandas da própria comunidade para estruturar as oficinas, em 17 áreas de atuação. 

Moradora admira o mural de fotografias instalado pela Secom“A expectativa é democratizar o acesso à comunicação, levando essas ações para vários territórios, tanto do TerPaz, quanto de vários municípios do interior do estado. Em 2019, a DCPC não fez nenhuma ação fora da Região Metropolitana. Em 2020, por conta da pandemia, foi apenas uma, no município de Soure. E nesse ano, a gente já tem, além de Abaetetuba e Ipixuna do Pará, ações que ocorrerão nas Usinas Pela Paz de Parauapebas e Canaã e planejamos para 2022 estar mais presente, já estamos aqui na Região Metropolitana de Belém, mas estar mais presente no interior do estado”, pontua o diretor Fábio Oliveira.

Em agosto, a DCPC retomou as ações pelos territórios do Terpaz com a oficina de comunicação comunitária no território do Jurunas, seguida pela de fotojornalismo, no Benguí. “O objetivo é, em primeiro lugar, democratizar o acesso à informação e comunicação por meio de atividades educativas, promovendo nos territórios das comunidades políticas públicas e inclusivas de comunicação, criando também, pólos de comunicação comunitária para democratizar este acesso, acesso às mídias e possibilitar a criação de narrativas de pertencimento e protagonismo em todo o Pará”, acrescenta o diretor.

No Jurunas, a oficina de Comunicação Comunitária abordou o uso da informação e da comunicação de forma ética, e das ferramentas digitais em prol da comunidade. Durante cinco dias, a fotógrafa e arte educadora Deia Lima apresentou aos moradores do bairro as novas plataformas de comunicação.

Em tempos de proliferação de fakenews que impactam diretamente no cotidiano das pessoas, causando prejuízos irreversíveis, a comunicação cidadã se torna ainda mais necessária. Por isso, na oficina de Fotojornalismo, no bairro do Benguí, ministrada por Rafael Fernando, trouxe a imagem como instrumento para levantamento de questões como transporte, obras para a comunidade, projetos sociais. 

“Dar aula sempre é um desafio, eu tenho que estar preparado para sensibilizar, para olhar as necessidades de cada aluno e aluna dentro desse processo educacional. Então foi muito importante ir até o Benguí ministrar oficina de fotojornalismo e principalmente escutar as demandas, os anseios da comunidade e ver que eles construíram isso juntos e puderam conhecer outros espaços outros locais que promovem cultura, educação e lazer”, pontua Rafael.

A comunicação e a informação cidadã pode ajudar a combater estereótipos criados sobre o bairro como violento e onde só existem pontos negativos. “Escutá-los e escutá-las falando sobre como romper estereótipos, aplicando iniciativas engajadas também faz toda a diferença neste processo, e continuar dando aulas faz toda diferença, pois ao produzir conhecimentos, o conhecimento não fica preso ali. É uma produção deles, é uma produção coletiva, e eles vão levar esse conhecimento como contribuição para levar transformações para a sua realidade”, pontua o instrutor.

A professora Beth Raiol mora no bairro do Benguí e integra o Grupo de Mulheres Brasileiras (GMB). “Essa aprendizagem sobre a importância da viabilidade da comunicação comunitária para a cidadania, pelo fotojornalismo. Então as aulas foram enriquecedoras possibilitaram um encontro que a gente pudesse reconhecer a importância e a viabilidade do uso de ferramentas tecnológicas, como exemplo o celular, para potencializar a comunicação na periferia, para periferia e da periferia sobre a realidade social que ela vive: tanto nos aspectos de desafios dos problemas que a gente vivencia na periferia, quanto também das potencialidades”, destacou Beth.

Para a educadora, a oficina ampliou a dimensão da cidadania aos participantes. “Para desconstruir aquele estigmas que é colocado na periferia, e muitas vezes nós moradores da periferia acabamos absorvendo essa ideia, então através do fotojornalismo é possível contribuir para a desconstrução dessa ideia e também de nos tornarmos protagonistas e levarmos através nossa própria voz, das imagens que a gente pode criar, uma nova ideia, uma nova perspectiva sobre a nossa as nossas potencialidade do bairro”, acrescentou Beth.

Usinas da Paz

A Usina da Paz é um projeto integrado ao TerPaz, elaborado pelo Governo do Pará e coordenado pela Secretaria Estratégica de Articulação da Cidadania (Seac), em parceria com a iniciativa privada, que visa a construção de 10 espaços na Região Metropolitana de Belém e na região Sudeste.

“A população vai contar com um espaço todo equipado, com câmeras, mesas de som, equipamentos de audiovisual além de instrutores dentro dessas áreas. Todos podem demandar essas ações da DCPC/Secom, a população da Região Metropolitana ou dos municípios do interior do estado, ONGs, Prefeituras. Para isso é só entrar em contato através do e-mail: dcpc@secom.pa.gov.br e para outras informações sobre a atuação da diretoria, é só acessar o site ou o facebook da Secom”, detalha o diretor Fábio Oliveira.

Próximas Oficinas

Fotojornalismo em Marituba

Data: 28/09 a 01/10

Local: Escola Dom Calábria, Rua São Lázaro (Rua Sexta), S/N, entre Rua da Cerâmica e Rua Bom Sossego.

Para as inscrições, acesse aqui

Rádio e Fotografia para Celular em Ababetetuba

Data: 05 a 08 de outubro.

Local: Faculdade de Educação e Tecnologia da Amazônia - FAM.

Inscrições (Rádio), acesse aqui

Inscrições (Fotografia para Celular), acesse aqui.

Produção Cultural e Publicidade e Propaganda (Ipixuna do Pará)

Data: 9 a 12 de novembro (A inscrição é presencial)

Local: Instituto Flor de Lótus/ Rua Luiz Batista Nonato, 290

Inscrições: Presencialmente 

Edital

O Edital de inscrições para os oficineiros está aberto até 12/2022. Confira mais detalhes, aqui.

Por Dayane Baía (SECOM)