No Pará, curso sobre toxicologia forense capacita peritos criminais

24/09/2021 16h22 - Atualizada em 24/09/2021 17h05

A análise de substâncias responsáveis por intoxicações apontadas como crime e trocas de experiências profissionais compõem o curso em “Toxicologia Forense”, realizado nesta semana no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) em Belém. O conteúdo faz parte do Programa de Capacitação Continuada, organizado pela Coordenação de Aperfeiçoamento e Pesquisa (Coapes) do CPC.

A temática sobre toxicologia abordou a interação de uma substância tóxica com o organismo, desencadeando um efeito que, posteriormente, será detectado no material biológico coletado, e assim poderá ser classificado como crime. “É necessária uma capacitação para acompanhar o dinamismo dessas substâncias que são lançadas diariamente na sociedade”, disse a perita criminal Nair Correia, especialista em toxicologia forense, ministrante do curso.

De acordo com o CPCRC, o curso se fundamenta nas trocas de experiências em campo e tem como objetivo nivelar os profissionais do órgão, sobretudo nessa temática que tem sido uma das mais executadas pela perícia criminal. “Esse tema é importante porque aborda um dos setores do CPC que mais realiza perícias e produz laudos”, enfatizou o perito criminal Celso Mascarenhas, diretor-geral do CPCRC.

Além dos peritos e técnicos da sede em Belém, estiveram presentes profissionais da Regionais de Castanhal, Altamira e Marabá. “Essa interação entre os profissionais que atuam no setor de laboratório nos proporcionou trocar experiências, expor as dificuldades e particularidades de cada regional e atualizar metodologias quanto aos procedimentos realizados'', apontou a perita criminal da unidade de Castanhal, Gabrielle Cardoso.

Além dessa temática, o CPCRC abordará outros assuntos como Perícia Tecnológica, Perícia Balística, Perícia Ambiental, Odontologia Legal e Química Forense. Os ministrantes das respectivas formações serão os peritos criminais com titulação de mestres e doutores em suas áreas de atuação, considerando todas as cinco unidades do CPCRC no Estado. O conteúdo programático dos cursos foi aprovado pelo Instituto de Ensino de Segurança do Pará (Iesp), responsável pela certificação dos peritos criminais participantes da qualificação.

Por Alexandre Cunha (CPC)