Estado e Prefeitura de Igarapé-Açu melhoram estradas vicinais e facilitam o escoamento de produção

Entre as vias, destaque para a que liga a Vila de Porto Seguro à PA-242, uma rota importante para escoar a produção pesqueira regional    

24/09/2021 16h44 - Atualizada em 24/09/2021 17h10

Em Igarapé-Açu, nordeste paraense, mais de 33 quilômetros de estradas vicinais municipais serão recuperadas por meio de um convênio entre o governo do Pará e prefeitura local. A parceria entre as instituições foi assinada nesta sexta-feira (24) entre o governador Helder Barbalho e o prefeito Normando Riachão.

“O convênio vai permitir a manutenção das estradas da região. Nós estamos garantindo recurso para que, enquanto não chegam recursos para pavimentação, a prefeitura tenha condições de fazer a manutenção das estradas para que elas estejam trafegáveis", orientou o governador Helder Barbalho.

O convênio assinado hoje prevê a contrapartida de quase R$ 8 milhões da Secretaria de Estado de Transportes (Setran) e R$ 325 mil da prefeitura local, totalizando mais de R$ 8 milhões em investimentos. Para o secretário de Estado de Transportes, Adler Silveira, a iniciativa vai melhorar a vida dos moradores e trabalhadores da região.

Seu Francisco da Silva do Nascimento é agricultor e sempre anda de moto pelas estradas vicinais, entre elas, a que liga a Vila de Porto Seguro até a PA-242. Uma rota utilizada também para escoar a produção pesqueira regional. O trabalhador festejou a notícia da melhoria.     

“Para quem anda de moto tem muito buraco, parece um pula-pula. Quando chove fica um liso, alagado e com lama. Fica ruim vir pra cidade. Com a obra vai ficar um bom negócio, vai ficar melhor”, contou o agricultor Francisco Nascimento.

Outro convênio celebrado entre o Estado e a prefeitura municipal é a aquisição de 50.837,60 litros de óleo diesel para recuperação de 66,567 metros de estradas vicinais do município. Para a obra, a Setran entrará com pouco mais de R$ 248 mil, enquanto que a prefeitura local entrará com R$ 11 mil, totalizando quase R$ 260 mil.

Por Ronan Frias (COHAB)