Governo do Pará garante vagas de aprendizagem junto à Associação Paraense de Supermercados

Evento reuniu 12 redes de supermercado que aderiram à inciativa, que visa sensibilizar empresas a disponibilizar vagas de aprendizagem a jovens

27/09/2021 19h16 - Atualizada em 27/09/2021 19h49

Com o intuito de reforçar o compromisso com políticas públicas voltadas à juventude paraense, em especial os mais vulneráveis, o Governo do Pará realizou um ato de assinatura do termo de adesão do programa Primeiro Ofício junto à Associação Paraense de Supermercados (Aspas).

O evento, promovido na tarde da segunda-feira (27), no Palácio de Governo, reuniu 12 redes de supermercado que aderiram à inciativa que visa sensibilizar empresas a disponibilizar vagas de aprendizagem a jovens de 14 a 24 anos, em situação de vulnerabilidade social.

“Hoje, nós alcançamos um importante patamar. O de mobilizar um grande segmento de nossa economia para ser o grande parceiro no chamamento de grandes conveniências, entre elas o de prestigiar os talentos de nossa juventude, e também o de assumir a responsabilidade social em garantir emprego e renda. Nós entendemos que este programa, sobre o aspecto do seu conceito, está emoldurado sob uma causa essencial, a de proteção à nossa juventude, e essa proteção se dá partir da inclusão educacional. Se nós não conseguirmos, no trilhar da vida desse jovens, oferecer uma janela de oportunidade para que o mesmo possa se enxergar e a partir do seu talento, gerar uma ocupação, uma profissão, grande será o risco de perder este jovem para o mundo da violência e das drogas. Por isso, o Primeiro Ofício só se torna efetivo se houver a parceria e adesão do setor empresarial”, pontuou o Governador.

O Programa, gerenciado pela Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster), já inseriu aproximadamente 1.200 jovens em oportunidades no mercado de trabalho e certificou 40 empresas com o Selo “Empresa Cidadã.

O Presidente da ASPAS, Jorge Portugal, reafirmou o compromisso com a inserção de jovens em equipes de trabalho das mais diversas redes de supermercado.

“Hoje, 12 empresas assinam o termo, mas temos a certeza que, em breve, outras devem aderir. Temos envolvido empresas não só dá região metropolitana, mas também de todo o Estado. Nós percebemos a preocupação deste governo com aqueles que mais precisam, em especial durante a pandemia. Enquanto outros estados nos fechavam as portas, aqui tivemos apoio e incentivo para que trabalhássemos e não faltassem alimentos à população. Por isso, assumimos o compromisso em contribuir na geração de oportunidades aqueles que estão em situações mais vulneráveis, entres ele os nosso jovens”.

Além de promover a inclusão social e diminuir os índices de violência, a iniciativa garante cidadania e a execução da Lei de Aprendizagem (Lei 10.097/2000), que determina que empresas de médio e grande porte devem preencher a cota de aprendizes fixada entre 5%, no mínimo, e 15%, no máximo, de acordo com o total de empregados.

“Nós estamos avançando em mais um grande passo deste programa. O primeiro ofício é a parte do jovem aprendiz e se baseia em uma lei federal que determina que toda empresa que possui sete funcionários ou mais deve cumprir a cota de aprendizes, logo esta inciativa reafirma o compromisso com a geração de emprego e renda, mas também garante que a lei se cumpra. Que todos nós, durante o nosso dia-a-dia trabalhemos por este préstimo e por esta garantia”, reforçou o titular da Seaster, Inocencio Gasparim.
 
Empregabilidade

Um estudo divulgado pelo Departartamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) na última sexta-feira (24), aponta que só no primeiro semestre (Jan-Jun/2021) o estado já registrou, aproximadamente, 5.500 novas contrações voltadas a jovens aprendizes. O estudo ainda revela que nos últimos 12 meses a contração de jovens em todo o Pará alcançou cerca de 8.900 novos postos. Os resultados obtidos pelo Pará são os maiores verificados entre os demais estados da Região Norte.

Por Camila Santos (SEASTER)