Diretoria da Fundação Guamá é reeleita para o triênio 2022/2024

Candidatura da chapa única foi aprovada por unanimidade pelo Conselho Curador da instituição

06/10/2021 20h59 - Atualizada em 07/10/2021 00h49

A única chapa a disputar a eleição para a diretoria executiva da Fundação Guamá, responsável pela gestão do Parque de Ciência e Tecnologia (PCT) Guamá, para o triênio 2022/2024, foi reeleita por unanimidade nesta quarta-feira (06). Rodrigo Quites Reis e Arnaldo José de Miranda permanecem à frente da instituição. “Os desafios são extraordinários, e precisamos continuar avançando”, disse a presidente do Conselho Curador da Fundação Guamá, professora Maria Iracilda da Cunha Sampaio, ao abrir a reunião extraordinária do Conselho, no PCT Guamá, em Belém.Diretores e representantes do Conselho Curador da Fundação Guamá, responsável pela gestão do PCT

“Em nosso primeiro mandato, não tínhamos ideia da situação — financeira — da Fundação. O nosso trabalho foi duro, cansativo, mas muito gratificante. A Fundação não se define ao Parque e, enquanto negócio, o PCT Guamá ainda não é sustentável. Historicamente, no Brasil os parques começam a dar retorno à sociedade em um período de 20 anos. Portanto, o PCT Guamá ainda é muito jovem. Vamos trabalhar para ter um melhor fluxo de gestão e financeiro”, afirmou o diretor-presidente Rodrigo Quites.

Diretor administrativo-financeiro, Arnaldo José de Miranda fez um balanço dos três primeiros anos de gestão. “Procuramos diferenciar o Parque da Fundação. As duas iniciativas estão ligadas, mas são negócios distintos. Fomos atrás de projetos para ficar menos dependentes do Estado. A pandemia nos impôs algumas dificuldades, mas seguimos orientados a fazer mais negócios”, informou.

Colaboração - A presidente do Conselho Curador referendou a chapa e anunciou, por aclamação, a reeleição. Maria Iracilda Sampaio destacou a colaboração como essencial para o amadurecimento do PCT Guamá. “Não somos absolutos. Precisamos nos complementar, ainda mais em um contexto de pandemia em que todos estão muito cansados. Convoco este Conselho para conseguirmos avançar em questões estratégicas ao Parque. Como gestora, penso que cada um deve se perguntar como podem contribuir para o desenvolvimento do PCT. Precisamos trazer novos negócios e projetar o Parque na sociedade”, reiterou Maria Iracilda Sampaio.Maria Iracilda Sampaio (c), presidente do Conselho Curador, e diretores reeleitos

Governo do Estado, Universidade Federal do Pará (UFPA), Eletronorte, Universidade do Estado do Pará (Uepa), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PA), Instituto Tecnológico Vale (ITV), Federação das Indústrias do Estado do Pará (Fiepa) e Fundação Guamá foram representados na reunião.

Conselheira de Especialização Científica, Ana Lúcia Prado afirmou que "o PCT Guamá tem o potencial de assumir um papel fundamental e estratégico do ponto de vista político e econômico". Representante da Fiepa, José Maria Mendonça disse que o “PCT Guamá é a base do nosso futuro, o futuro do conhecimento. Precisamos cobrar mais do setor mineral para disseminar conhecimentos e trazer mais benefícios à sociedade paraense”.

Além de celebrar a trajetória do PCT Guamá, o conselheiro Ademir Antônio Silveira Júnior, da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica (Sectet), ressaltou a possibilidade de atualização do contrato de gestão entre a Fundação e a Secretaria, com a revisão de diretrizes e eixos para atender às mudanças que o parque tecnológico vem vivenciando.

Por Juliane Frazão (PCTGuamá)