Representantes da União Europeia visitam 'Espaço da Pessoa Refugiada e do Migrante' da Sejudh

A Sejudh possui o primeiro equipamento público voltado à população refugiada e migrante que vive no Pará.

18/10/2021 15h20 - Atualizada em 18/10/2021 15h44

Destinado ao acolhimento humanizado e para regularização documental, o "Espaço da Pessoa Refugiada e Migrante" da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) recebeu, nesta segunda-feira (18), a visita de um representante da União Europeia que conheceu o formato de funcionamento do local, que tem como objetivo fortalecer a resposta estadual ao fluxo de chegada de refugiados e migrantes da Venezuela, especialmente indígenas da etnia Warao, que atualmente vivem em Belém e região metropolitana. 

A Sejudh possui o primeiro equipamento público voltado à população refugiada e migrante do Estado do Pará e contou com doações da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) para equipar espaço. Responsável pela coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, Trabalho Escravo e Promoção da Migração Segura, Lorena Romão, apresentou à equipe o espaço. 

“O Espaço da Pessoa Refugiada e Migrante visa o reconhecimento, a participação e atuação dos refugiados e migrantes como sujeitos de direitos e agentes ativos no seu processo, sendo o principal objetivo desta iniciativa, a promoção e difusão dos direitos, deveres e garantias dos refugiados e migrantes visando à autonomia, inclusão social, laboral e produtiva”, explicou Romão. 

O Diretor-Geral de Proteção Civil e Operações de Ajuda Humanitária Europeia para a América Latina e o Caribe, Andrés Triviño, fez a visita acompanhado de Chiara Osini e Gabriel Tardelli, ambos representante da Agência da ONU para Refugiados. “Estamos muito contentes em conhecer esse espaço que no Pará é pioneiro, principalmente aos Warao”, afirmou Triviño.

Por Gerlando Klinger (SEJUDH)