Polícia Civil lança campanha de combate a crime de importunação sexual nos estádios

A ação será estendida até o final de dois campeonatos: Copa Verde e Brasileirão (séries B e C), e conta com a parceria da Polícia Militar e dos Clubes do Remo e Paysandu

20/10/2021 08h15 - Atualizada em 20/10/2021 13h19

Com o objetivo de combater, orientar e atender situações de flagrante sobre o crime de violência de gênero nos estádios, a Polícia Civil do Pará lançou a campanha "Importunação sexual é crime. Não faça parte desse time", na noite da última terça-feira (19), no Estádio Evandro Almeida (Baenão), em Belém. 

O lançamento da campanha ocorreu durante uma partida do jogo entre Remo e Galvez pela Copa Verde. A ação será estendida até o final de dois campeonatos: Copa Verde e Brasileirão (séries B e C), e conta com a parceria da Polícia Militar e dos Clubes do Remo e Paysandu. 

Segundo a delegada-geral adjunta, Daniela Santos, a Polícia Civil está empenhada em combater este tipo de violência nos estádios, locais em que a importunação sexual contra a mulher ainda impede que as torcedoras ocupem este espaço de lazer. 

“Não são mais aceitas justificativas, independente se o ambiente for público ou privado, e menos ainda para locais onde homens se sentem autorizados a praticar crimes contra a mulher diminuindo ou objetificando o gênero feminino. É importante ressaltarmos que o corpo feminino não é espaço público e deve ser protegido, inclusive, pelo Estado", afirmou a DGA Daniela. 

As ações serão realizadas de maneira preventiva contra a cultura do machismo nos estádios, com a presença de equipes especializadas no combate à violência contra a mulher, com a distribuição de panfletos informativos sobre o crime de importunação sexual. Durante as partidas de futebol,  também terá uma equipe apta para atuar repressivamente em casos de situações flagranciais detectadas, para que no local as vítimas sejam atendidas e encaminhadas à Divisão Especializada no Atendimento à Mulher (Deam/Belém). 

Carlena Gama, diretora de responsabilidade social do Remo, falou em nome do clube sobre a alegria de estabelecer essa parceria com a PC para atuação em um ambiente muito frequentado pelo público feminino. 

"Hoje temos torcidas femininas enormes, até maiores que algumas masculinas, então nos sentimos honrados em participar dessa ação junto a Polícia Civil, para orientar, principalmente aos homens, que importunação sexual é crime e juntos vamos combater esses atos", afirmou Carlena. 

Com o avanço da ação, a PCPA estará contribuindo para a diminuição da vulnerabilidade social e o enfrentamento das dinâmicas de violência, a partir da articulação de ações de segurança pública e cidadania. 

Para torcedoras como Franci Pinheiro, que frequentam assiduamente os estádios, a campanha leva mais segurança para o ambiente. "Acho muito importante e válida essa iniciativa em defesa das mulheres, pois aqui muitos homens não nos respeitam. Eles nos desrespeitam não apenas com palavras, mas com toques. Então nos sentimos mais seguras a partir dessa ação policial", comentou a torcedora do clube do Remo. 

Crime

É considerado crime o ato de praticar, contra uma pessoa específica e sem o seu consentimento, ação libidinosa com o intuito de satisfazer o próprio desejo sexual ou de terceiros. Está previsto no Artigo 215-A do Código Penal Brasileiro, com pena mínima de 1 ano e pena máxima de 5 anos de prisão. 

Serviços

Denúncias podem ser feitas no local dos jogos para a equipe Policial presente ou por meio do Disque-denúncia 180 e via aplicativo Whatsapp (91) 8115.9181, de forma anônima, por meio da inteligência artificial  "Iara".

Por Roberta Meireles (PC)