Adepará encerra treinamento de inspeção de produtos de origem vegetal, em Bragança

Em cinco dias de curso, servidores da Agência discutiram questões teóricas e práticas a respeito da inspeção de produtos de origem vegetal

04/12/2021 14h53 - Atualizada em 04/12/2021 15h33

No período de 29 de novembro a 3 de dezembro, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará), por meio da  Diretoria de Defesa e Inspeção Vegetal (DDIV), promoveu um treinamento de inspeção de produtos de origem vegetal, no município de Bragança, nordeste do estado. O treinamento reuniu mais de 40 participantes de vários municípios paraenses que ao final do curso, receberam o certificado.

O último dia de treinamento, realizado na última sexta-feira (3), foi marcado pela visita em uma casa de farinha de Bragança. A dinâmica de de inspeção e fiscalização permitiu que os servidores acompanhassem o processo de produção e as medidas higiênico-sanitárias adotadas pelo proprietário. Ao final, foi entregue ao produtor o certificado de registro da Adepará.  

Durante os cinco dias de curso, fiscais e agentes agropecuários de vários municípios puderam aprimorar, tirar dúvidas e adquirir novos conhecimentos sobre questões sanitárias, diretrizes e normas de inspeção, protocolos administrativos, legislações, e demais assuntos envolvendo ações e fiscalização em estabelecimentos de polpa de frutas, agroindústria e casa de farinha. 

A gerente de inspeção vegetal, Joselena Tavares, ressalta que a semana foi produtiva e de muito aprendizado que os servidores irão levar para as suas ações de campo.

“Nós finalizamos o treinamento com a certeza de que os objetivos foram alcançados. Foram cinco dias em que discutimos questões teóricas e práticas acerca da inspeção de produtos de origem vegetal dentro do estado do Pará. Fica a certeza de que os nossos técnicos voltarão pras suas unidades com mais conhecimento, mais capacitados para que possam aplicar o conhecimento adquirido pra quem mais precisa, que são os nossos produtores. E com isso, quem ganha é o agronegócio paraense, os agricultores familiares e o consumidor que terá a certeza de estar consumindo um produto de qualidade e com isso nós garantimos saúde pública e segurança alimentar pra nossa população”, ressaltou a gerente, que esteve presente durante a semana de treinamento. 

Programação

Palestrantes de diversas áreas de atuação estiveram presentes durante a semana de treinamento. Participaram da programação, fiscais estaduais do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), engenheiros agrônomos, auditores fiscais com orientações sanitárias, práticas de fiscalização e diversas temáticas da área vegetal. Carissa Bichara, professora da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra) e engenheira de alimentos, diz que ficou lisonjeada com o convite da Adepará em poder contribuir para a melhoria do processo de inspeção na área vegetal. 

“Trabalhamos bastante com as boas práticas de fabricação e manipulação, que são de suma importância para a produção de alimentos seguros no Brasil. Repassar esses conhecimentos relacionados à importância da microbiologia dos alimentos é uma grande satisfação”, frisou Carissa. 

Foram quatro dias em sala de aula estudando sobre questões frequentemente utilizadas na rotina dos agentes, desde os critérios para o preenchimento de formulários, normas de funcionamento de um estabelecimento, microbiologias de alimentos, coleta de amostras, processamento de atentos a visitas em uma casa de farinha e agroindústria de polpa de frutas foram realizadas.

Além da teoria em sala de aula, na quinta-feira (2), os servidores realizaram atividades em grupo sobre a prática de fiscalização em agroindústrias e visitaram um estabelecimento que processa polpa de frutas para entender e verificar de perto todo o procedimento até o produto final.

Sistemas

Além da educação sanitária e do aprimoramento dos servidores, com a capacitação, a Adepará também visa atender a um dos requisitos para a adesão ao Sistema de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Sisbi-POV), que faz parte do Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa) que padroniza e harmoniza os procedimentos de inspeção de produtos de origem vegetal para garantir a inocuidade, a qualidade desses produtos.

Por Lilian Guedes (ADEPARÁ)