Boxe reúne setenta academias no Mangueirinho para a 35ª edição do 'Nocaute na Violência'

Projeto social com o apoio do governo do Pará, através da Seel, atende a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social

19/12/2021 16h21 - Atualizada em 19/12/2021 17h34

Seel apóia o "Nocaute na Violência" garantindo às academias equipamentos necessários ao atendimento de crianças e adolescentesO boxe paraense se reuniu para mais um 'Nocaute na Violência'. Em sua 35° edição, o evento esportivo foi realizado pela primeira vez na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, na manhã deste domingo (19) e contou com 50 atletas que deram um show no ringue. A iniciativa recebeu o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

"Essa é nossa missão, fomentar o esporte, mas neste momento especial que precisamos enaltecer o idealizador que faz esse lindo projeto em parceria com outras academias. Nós que temos apoiado esse projeto, entendemos a sua importância para os paraenses", frisou Nivan Noronha, titular da Seel.

O projeto social de boxe mobiliza academiase associações de Belém e do interior. O principal objetivo da iniciativa é transformar vidas de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social .

A programação começou com a categoria Juvenil (até 68 kg), sendo o primeiro vencedor o lutador Eduardo Matos, da Associação Zezé do Boxe. "A luta foi tranquila, pois os treinos foram intensos, e coloquei em prática o que aprendi", disse o ganhador.

Bruno Oliveira, da academia de Ulisses Pereira, conquistou o cinturão de meio-médio em luta contra Ataíde Japa, de Manaus, AmazonasNas lutas femininas, a primeira ganhadora foi Dayana Caldeira, que disputou com Ludimila Vidal. "Esse período foi muito corrido, pois tive que dividir o tempo entre escola e os treinos, que muitas vezes são feitos até bem tarde da noite, mas no final deu tudo certo", disse Dayana.

Durante os intervalos, representantes do projeto TerPaz, na modalidade de boxe, estiveram no local para divulgar os serviços desenvolvidos na Usina da Paz, do Icuí-Guajará. As aulas de boxe ocorrem aos sábados, no período da tarde. Para ter acesso às inscrições tem que se dirigir à Usina de segunda a sexta-feira.

CINTURÕES

A programação contou ainda com as disputas de dois cinturões, sendo que o primeiro foi a luta de Bruno Oliveira, da academia Ulisses Pereira, contra Ataíde Japa, de Manaus. Os competidores disputaram na categoria super meio-médio (até 69 kg).  Já o outro cinturão, foi na categoria leve (até 60kg), onde Felipe Brígida, até então detentor do cinturão, perdeu para Edinaldo Barbosa, do município de Muaná. 

Ao final do evento, a Seel entregou aos representantes das academias participantes, 140 sacos de boxe e 140 pares de luvas.

*Texto de Bianca Rodrigues (Ascom Seel)

Por Governo do Pará (SECOM)