Pará mantém alta na geração de empregos formais com investimentos do governo estadual

Entre janeiro e novembro do ano passado, Estado registrou a geração de 16.366 postos de trabalho

21/01/2022 22h06 - Atualizada em 22/01/2022 00h07

O Pará lidera a geração de empregos formais no setor da Construção Civil na região Norte, no período de janeiro a novembro de 2021. No comparativo entre admitidos e desligados, o Estado ficou com 16.366 postos de trabalho, seguido pelo Amazonas, com a geração de 3.395 postos. As informações são do Balanço do Emprego Formal, elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA).

Em novembro do ano passado, a maioria dos estados do Norte apresentou saldo negativo de empregos formais para o setor. Além do Pará, com 621 empregos formais gerados no período, o Amapá teve saldo positivo de 94 postos de trabalho ocupados.A Construção Civil é o setor que mais gera postos de trabalho, impulsionado por obras executadas pelo governo do Estado

O titular da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) Inocencio Gasparim, observa o investimento do Governo do Pará na geração de empregos e na atenção aos mais vulneráveis, o que também gera impactos positivos na economia.

“A empregabilidade no Pará em 2021 foi muito positiva. Isso é resultado de uma série de fatores, que inclui a intervenção do governo como fator decisivo. Somos o 3º estado que mais incentivou a economia, em especial em atenção aos mais vulneráveis. O setor de infraestrutura se destaca com uma larga carteira de investimentos em obras e reformas, mais de R$ 2 bilhões em obras, o que gerou cerca de 16 mil empregos. Neste ano, estima-se a construção de 148 creches, o que soma mais de 5 mil novos empregos. As ações desta gestão e a permanência delas tem gerado um ambiente econômico favorável. Em 2022, com os cuidados e a execução da vacina, certamente continuaremos registrando bons resultados”, ressalta Inocencio Gasparim.

Por Carol Menezes (SECOM)