Obra de asfaltamento da PA-462 chega a quase 50% de conclusão

A rodovia é a principal via de transporte de passageiros e de escoamento da produção agropecuária e pesqueira do município de Augusto Corrêa e do 2° Distrito de Viseu

27/04/2022 14h48 - Atualizada em 27/04/2022 16h10

A obra de construção e pavimentação da PA-462, em Augusto Corrêa, no nordeste paraense, está 48% pronta. A rodovia, considerada a espinha dorsal do município, recebe obras de  construção e pavimentação em toda sua extensão que somam 45 quilômetros.

O trecho que recebe obras é do entroncamento da rodovia BR-308 (Vila do Patal) à Vila do Araí. No local são feitos serviços de construção da rede de drenagem (bueiros), terraplanagem, sub-base e base, preparando a via para receber asfalto. Em seguida, será feita a sinalização de trânsito horizontal e vertical de toda a rodovia.

A obra, que beneficiará mais de 40 mil habitantes dos dois municípios (Viseu e Augusto Corrêa) é de fundamental importância para o desenvolvimento econômico e social da região do Caeté, porque põe fim a um sofrimento que ocorria na época chuvosa na região, quando a força das águas levava as pontes e a via ficava intrafegável, deixando ilhada grande parte da população. 

Os mais prejudicados eram os estudantes. Em 2019, escolas de 84 municípios tiveram suas aulas suspensas por falta de trafegabilidade das vias, impedindo a circulação do transporte escolar. “Hoje, os estudantes podem chegar com mais segurança nas salas de aula, o produtor consegue escoar sua produção com mais agilidade e, quem vive ao longo da rodovia não sofrerá mais com a poeira no verão e a lama e o alagado no inverno”, disse Adler Silveira, titular da Setran. 

São mais de R$ 45 milhões investidos na obra. Em 2020, a Setran concluiu dez pontes em concreto armado ao longo da PA-462. A rodovia é a principal via de transporte de passageiros e de escoamento da produção agropecuária e pesqueira do município de Augusto Corrêa e do 2° Distrito de Viseu, que inclui as localidades de Açaiteua, Fernandes Belo, Laguinho, entre outras.

Por Kátia Aguiar (SETRAN)