Unidades Habitacionais do Riacho Doce são aprovadas em vistoria 

Iniciadas em 2006, as obras nos Conjuntos Riacho Doce I, II e III só agora avançam numa iniciativa da Sedop e da Cohab

09/05/2022 15h54 - Atualizada em 09/05/2022 16h44

Os futuros moradores do Conjunto Riacho Doce II e III, no bairro Guamá, em Belém, finalizaram a vistoria das unidades habitacionais onde vão morar. No total, 176 famílias foram até o residencial inspecionar os cômodos dos apartamentos. A previsão inicial é de que as unidades vistoriadas sejam entregues ainda este ano. 

Após 16 anos de espera, dona Nilvana Seabra de Oliveira pode, finalmente, entrar no apartamento de 3 quartos que foi construído. Estudante de Teologia, ela contou sobre a sensação de gratidão ao vistoriar a cozinha, lavanderia, sala, banheiro e os dormitórios. 

"Quando eu abri aquela porta, eu dei um pulo de alegria. Eu achei tudo lindinho, tudo perfeito, bem organizado e perfeito. Eu vi que vai dar para fazer do jeito que eu quero. Essa conquista tem sabor de vitória pra gente que esperou tanto", descreveu a futura moradora.

Iniciadas em 2006, as obras nos Conjuntos Riacho Doce I, II e III se arrastaram durante anos, até serem retomadas pela atual gestão do Governo do Estado. A construção das unidades faz parte do projeto de Macrodrenagem da Bacia do Tucunduba, que está mudando a realidade de bairros como o Guamá, Terra Firme, Canudos e Marco.

O empreendimento garante, além de saneamento básico e mobilidade urbana, moradia digna para famílias que precisaram ser remanejadas por conta das intervenções no canal ou estavam inscritas em programas de assistência habitacional do governo.

O atendimento e seleção das famílias selecionadas para serem contempladas pelas unidades habitacionais do Residencial Riacho Doce é realizado pela Companhia de Habitação do Estado do Pará (Cohab). As obras de construção são executadas por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento e Obras Públicas (Sedop).

De acordo com o titular da Cohab, Orlando Reis, a distribuição dos imóveis ocorreu respeitando critérios. "A Cohab realizou um sorteio entre os moradores para garantir transparência na entrega das unidades. Mas dentro dos sorteios, as unidades térreas foram priorizadas para moradores com algum famílias que tenham algum tipo de deficiência ou locação reduzida, inclusive pela idade. Desta forma, estamos atendendo os moradores para garantir além da moradia digna, melhor qualidade de vida".

De acordo com o secretário adjunto de Gestão e Obra, da Sedop, Arnaldo Dopazo, “as obras de construção foram demandadas pela Cohab para atender aos moradores que estavam na área de intervenção do Tucunduba. São obras de boa qualidade que vão dar melhor qualidade de vida para as famílias, porque não são obras apenas do apartamento, mas sim, há obras em todo o entorno”.

Por Ronan Frias (COHAB)